Janeiro 2018
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Lançado o primeiro beta do openSUSE Leap 15.0!

 Seguindo o mesmo modelo de desenvolvimento do Leap 42.3, foi disponibilizado hoje, dia 31 de janeiro de 2018, o primeiro snapshot da fase beta do openSUSE Leap 15.0. À medida em que os bugs forem corrigidos e novos pacotes são adicionados/removidos, os novos snapshots serão publicados na lista de discussão do openSUSE após passarem por uma fase de testes do openQA.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Como instalar o NetBeans no openSUSE e no Fedora

 O NetBeans é um IDE (Ambiente de Desenvolvimento Integrado) de código aberto, gratuito e multiplataforma (disponível Linux, macOS, Solaris e Windows). Ele é escrito em Java e utilizado por programadores de todo o mundo, permitindo aos mesmos escrever, compilar, depurar e instalar programas. Além de oferecer o suporte ao desenvolvimento de todos os tipos de aplicativos Java (Java SE (incluindo o JavaFX), Java ME, web apps, EJB e aplicativos móveis), o NetBeans IDE também possui suporte a várias linguagens de programação, dentre elas o PHP, HTML5, JavaScript, C e C++.

 Dentre os principais recursos do NetBeans estão o FindBugs, uma ferramenta de análise estática com integração especial, amplamente utilizada para a identificação e correção de problemas comuns em código Java e o NetBeans Debugger, que permite a inserção de pontos de interrupção no código fonte, adicionar "watches" de campo, avançar pelo código, executar métodos, obter telas e monitorar a execução durante sua ocorrência.

 Além disso, ele também conta com um editor de código fonte integrado, que possui vários recursos para aplicações Web (Servlets e JSP, JSTL, EJBs) e aplicações visuais com Swing (API Java para interfaces gráficas) e um visualizador de classes integrado ao de interfaces, que gera automaticamente o código dos componentes de forma bem organizada, facilitando o entendimento de programadores iniciantes.

 Para conhecer melhor o NetBeans e todas as suas funcionalidades, acesse o site oficial do projeto clicando no botão abaixo:


 Neste tutorial você vai aprender a instalar a versão mais recente do NetBeans no seu openSUSE e Fedora Workstation, que é bem fácil. Vamos lá?!

  Tutorial testado no openSUSE Tumbleweed e no Fedora 27 Workstation.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

 Manter sempre uma cópia de todos os dados armazenados no disco rígido é um dos procedimentos mais importantes que todos devem fazer (seja todo dia, semanalmente ou mensalmente), porém, muitos só lembram que deveriam ter feito um backup dos documentos, imagens, músicas, etc. depois que o HDD/SSD começa a apresentar problemas ou quando formata por engano uma partição do mesmo.

 Uma maneira simples de fazer backup é copiar manualmente todos os dados importantes, tais como documentos, imagens, músicas, vídeos, etc. para um outro dispositivo de armazenamento, mas existe um aplicativo que facilita ainda mais esse processo e está presente na maioria das distribuições, o Déjà Dup.

 O Déjà Dup (day-ja-doop) é um utilitário simples e eficiente do GNOME para fazer backups dos seus arquivos pessoais, sendo basicamente uma interface gráfica para o Duplicity (que, por sua vez, utiliza o rsync para fazer backups incrementais, criptografados e comprimidos). Além de dispositivos de armazenamento locais (discos rígidos externos, pen drives, etc.), o Déjà Dup também possui suporte para salvar os backups em locais remotos ou em nuvem, como o Google Drive e Nextcloud.

 Para conferir todas as funcionalidades do Déjà Dup, acesse o site oficial do projeto:

  Saiba mais sobre o Déjà Dup

Confira também:  Como fazer backup dos seus arquivos de configuração no GNU/Linux

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Passo a passo de atualização do openSUSE Leap 42.2 para o 42.3

 Você vai aprender, neste tutorial, a atualizar do seu openSUSE Leap 42.2 para o Leap 42.3, seja utilizando a mídia de instalação ou alterando os repositórios.

 Na próxima sexta-feira, dia 26 de janeiro de 2018, chegará ao fim o suporte oficial para o openSUSE Leap 42.2, lançado em julho do ano passado. Com isso, todos os usuários deverão atualizar para a versão mais recente, o openSUSE Leap 42.3, para continuar recebendo as correções de segurança e atualizações de pacotes.

 Apesar de considerar (na minha opinião) uma instalação "limpa" do openSUSE Leap 42.3 a melhor opção, é possível atualizar da versão 42.2 para a 42.3 sem problemas, desde que siga à risca alguns procedimentos, e é isso que você vai aprender neste passo a passo que preparamos!

Índice

Preparativos;
Resumo dos métodos de atualização disponíveis;
Como atualizar para o openSUSE Leap 42.3 via mídia de instalação (recomendado);
Como atualizar para o openSUSE Leap 42.3 alterando os repositórios;
Restaurando os repositórios "antigos" (opcional).

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

 Por muitas vezes criamos um pen drive bootável que possui um espaço de armazenamento bem maior que a imagem ISO, não é mesmo?! Uma outra situação também bem comum é ter que formatar o mesmo pen drive para gravar a ISO de outro sistema, o que não é nada prático. Porém, é possível ter mais de um sistema instalado no mesmo pen drive com a ajuda do MultiBootUSB.

 O MultiBootUSB é um software multiplataforma e de código aberto que permite criar um pen drive bootável com vários sistemas operacionais (Linux ou Windows), bem como antivírus (no modo "Live"), utilitários para clonagem de disco, ferramentas de recuperação e/ou diagnóstico sem apagar os dados do mesmo, tudo isso com uma interface gráfica simples e fácil de utilizar!
 Além disso, ele também possui a opção de gravar uma única imagem de disco no pen drive (utilizando o "dd") e de testar o próprio pen drive sem reiniciar o computador através do QEMU, que é um emulador/virtualizador de código aberto.

 Para mais detalhes sobre o MultiBootUSB, acesse o site oficial do projeto:

  Saiba mais sobre o MultiBootUSB
  Tutorial testado nas versões de 64 bits do Fedora 27 Workstation, openSUSE Leap 42.3 e Debian 9.3 "Stretch".
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

 Quem gosta de testar outras distribuições Linux (assim como eu) já está acostumado a baixar várias imagens ISO, algumas delas são relativamente "grandes", como é o caso da ISO de instalação do openSUSE Leap e do CentOS, que possuem pouco mais de 4GB.

 Apesar de todas as principais distros disponibilizarem o torrent como opção de download, muitos ainda preferem fazer o download direto da ISO. Este "método" tem suas vantagens, uma delas é a possibilidade de usar (apesar de não recomendado para arquivos grandes) o gerenciador de downloads nativo dos navegadores, sem a necessidade de instalar um aplicativo "dedicado" no seu sistema, mas a principal desvantagem é o risco do arquivo corromper-se durante o download, como aconteceu comigo em 2013 com a ISO do Ubuntu 13.04 "Raring Ringtail".

 Ao constatar que o arquivo que você acabou de baixar está corrompido (verificando o hash MD5/SHA do mesmo), a primeira coisa que vem na mente é tentar baixá-lo novamente, não é mesmo? Isso é simples para quem tem uma conexão com boa velocidade, porém, quem tem uma internet lenta (e, em alguns casos, limitada), ter que baixar novamente do zero fica bem complicado... Mas, nem tudo está perdido. Se o seu arquivo possui o torrent como opção alternativa de download, as chances de recuperá-lo são grandes, e é isso que mostraremos neste tutorial!

  Este tutorial foi produzido a partir de uma imagem ISO corrompida do openSUSE Leap, mas pode ser realizado com a ISO de qualquer outra distribuição, bem como com qualquer tipo de arquivo, DESDE QUE haja um torrent oficial e idêntico ao seu arquivo.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

 O Wine / WineHQ é uma camada de compatibilidade gratuita e de código aberto capaz de executar aplicativos e jogos desenvolvidos para o Windows no Linux e em outros sistemas compatíveis com POSIX, como é o caso do FreeBSD e macOS.

 Em vez de simular a lógica interna do Windows como uma máquina virtual ou um emulador, o Wine (retro-acrônimo para Wine Is Not an Emulator) traduz as chamadas da API do Windows em chamadas POSIX durante a execução (on-the-fly), eliminando as penalidades de desempenho e memória de outros métodos, permitindo que você integre de uma forma quase que "nativa" os softwares do Windows no seu sistema.

 Para conhecer mais detalhes sobre o Wine, acesse a página oficial do projeto e o artigo sobre o mesmo na Wikipédia:


 Neste tutorial você vai aprender a instalar facilmente o Wine no seu Debian e Ubuntu através do repositório oficial, que, atualmente, possui três versões distintas. São elas:

  • Stable - Como o próprio nome sugere, esta é a versão estável do Wine (com ciclo de lançamento anual e atualizações menores a cada 10-12 semanas). Destina-se a usuários cujos aplicativos e jogos já funcionam bem no código existente e que não estão interessados em testar novas versões;
  • Development - Versão de desenvolvimento (e principal) do Wine, onde são adicionados novos recursos e os bugs são corrigidos. É recomendada para os usuários que querem (ou precisam) dos recursos mais recentes e correções de erros ainda não disponíveis na versão estável;
  • Staging - Esta é a versão de desenvolvimento onde são testados centenas de recursos e patches experimentais que ainda não estão prontos para serem adicionados na versão principal (Development), voltada principalmente para usuários de aplicativos e/ou jogos afetados por bugs e também aos interessados em ajudar a testar patches experimentais.

 Tanto a versão Development quanto a Staging tem um cronograma de lançamento quinzenal.

  Dica testada no Debian 9.3 "Stretch" e Ubuntu 16.04.3 LTS "Xenial Xerus", ambos de 64 bits.
 É possível executar uma grande variedade de aplicativos do Windows (como o Microsoft Office 2010), mas não todos. Confira a lista oficial dos aplicativos compatíveis com o Wine acessando este link aqui.

Os principais tópicos deste tutorial: