2015
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Como criar um pendrive bootável pelo terminal

Você vai aprender, neste tutorial, a criar um pen drive bootável de qualquer distribuição Linux pelo terminal usando o dd.

 Muitos estão acostumados a usar programas gráficos, como o UNetbootin, para criar pen drives bootáveis. Apesar disso, há uma maneira mais "simples" de criar um pen drive no Linux, que é o utilizando o dd pelo terminal, sem a necessidade de instalar algum pacote extra no sistema. Abaixo você vai conferir o passo a passo de criação de um pen drive bootável de distribuições Linux e sistemas Unix-like (FreeBSD, OpenBSD, etc). Vamos lá?!

      ---   ATENÇÃO   ---      

Se você deseja criar um pen drive bootável do Windows 10, 8/8.1 ou Windows 7 através da sua distro Linux, você deverá seguir o nosso outro tutorial, acesse o link abaixo:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2017/03/Como-criar-um-pen-drive-bootavel-do-Windows-no-Linux.html
   Este tutorial funciona tanto com arquivos de imagem .ISO quanto com arquivos de imagem de disco (.IMG).
 A primeira coisa a se fazer é conectar no seu computador apenas o pen drive que será utilizado nestes procedimentos. Feito isso, abra um terminal e execute o comando abaixo para identificá-lo:

sudo fdisk -l

 Estou utilizando um pen drive da SanDisk de 8GB, e que, segundo mostrado pelo comando acima, é o disco identificado como /dev/sdc, como mostrado na imagem abaixo:

Comando fdisk -l, mostrando todos os discos do computador, incluindo o pen drive
      ---   ATENÇÃO   ---      

Identifique CORRETAMENTE o seu pen drive, pois, caso contrário, poderá destruir todos os dados do seu disco rígido.

Nos comandos a seguir, você deverá substituir o "X" pela letra correspondente ao seu pen drive. No meu caso, por exemplo, é o disco identificado como "/dev/sdc", então preciso trocar o "X" pela letra "c".
 Feito isso, desmonte-o com o comando (caso esteja montado) com:

sudo umount /dev/sdX*
* Como indicado anteriormente, você deve trocar o X, do comando acima, pelo seu pen drive.

 Caso queira, poderá formatar o seu pen drive antes de gravar a imagem ISO, para isso, basta executar o comando:

sudo mkfs.vfat -I /dev/sdX1
* Nesse exemplo, estou formatando o pen drive com o sistema de arquivos FAT32, utilizando o mkfs (incluído em praticamente todas as distribuições). Para mais detalhes sobre este comando, tecle man mkfs no terminal.

 Recomendo que verifique se o seu arquivo ISO ou IMG não está corrompido antes de gravá-lo no pen drive. Confira, no link a seguir, as instruções de como verificá-lo:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/11/verificar-md5-sha256-de-arquivos-terminal-linux.html








 Tudo pronto? Vamos agora criar o pen drive bootável pelo terminal. Abaixo um exemplo de uso "simples" do comando dd (que é usado como root):

sudo dd if=/local/da/imagem.iso of=/dev/sdX && sync

 Onde:
  • if = Refere-se ao arquivo de entrada (input file), que no caso, é a sua imagem .ISO ou .IMG;
  • of = É o arquivo de saída (output file), que neste caso é o seu pen drive;
  • sync = Esta opção garante que todos os dados sejam copiados para o pen drive.

 Como a ISO que baixei está na pasta "Downloads", o comando ficou assim:

##### EXEMPLO #####
sudo dd if=/home/sandro/Downloads/Fedora-Workstation-Live-x86_64-25-1.3.iso of=/dev/sdc && sync
* Neste exemplo, utilizei uma imagem ISO do Fedora, mas pode ser de qualquer distro Linux ou arquivo de imagem de disco (.IMG).

 DICA - Por padrão, o "dd" não exibe o progresso de gravação da imagem de disco, mas caso queira acompanhá-lo, basta adicionar a opção status=progress no comando acima. Confira o exemplo:

sudo dd if=/local/da/imagem.iso of=/dev/sdX status=progress && sync

 Dica enviada pelo nosso leitor @Fábio Mattes!

 Agora é só aguardar! Este processo é um pouco demorado, no meu caso, foram aproximadamente 8 minutos, isso vai depender da velocidade de escrita do pen drive e do tamanho da imagem de disco que está sendo utilizada, ok?

Exemplo de saída do comando dd, gravando uma imagem ISO no pen drive

 Depois de concluído o processo, o seu pen drive bootável estará pronto! Agora basta fechar os seus trabalhos, reiniciar o computador, configurar o Setup do mesmo para dar boot pelo pen drive (aprenda AQUI) e, finalmente, testar/instalar o seu sistema!

 E após instalar o seu sistema operacional, provavelmente vai querer utilizar o pen drive para guardar arquivos como fazia antes, não é? Então acesse o link abaixo com o passo a passo de como formatar um pen drive pelo terminal:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/08/como-formatar-um-pen-drive-pelo-terminal-linux.html


 Então é isso! Caso tenha alguma dúvida, sugestão ou crítica a respeito deste tutorial, basta deixar o seu comentário logo abaixo, ou se preferir, entre em contato conosco!

 Aproveite e cadastre-se para receber todas as novidades do blog Opção Linux no seu e-mail, ou siga-nos no Google+, no Twitter ou na nossa página no Facebook! :)

 Muito obrigado pela visita e até o próximo tutorial!


Referências:

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
openSUSE Leap - Dicas de pós-instalação

Veja aqui algumas dicas para completar a instalação do openSUSE Leap 42.1.

/!\ Atualizado /!\

No artigo anterior vimos como instalar passo a passo o openSUSE Leap, que é bem fácil, agora vamos fazer algumas "melhorias" no sistema do camaleão.

Os Repositórios oficiais do openSUSE Leap são (principais):

  • http://download.opensuse.org/distribution/leap/42.1/repo/oss/
  • http://download.opensuse.org/distribution/leap/42.1/repo/non-oss/
  • http://download.opensuse.org/update/leap/42.1/oss/
  • http://download.opensuse.org/update/leap/42.1/non-oss/

A primeira coisa a fazer depois de instalado é atualizar o sistema:

sudo zypper up

Após, faremos as "melhorias" no openSUSE!

Desde já lembro que os procedimentos a seguir não são obrigatórios, você pode usar o openSUSE com os repositórios padrões sem problema algum, mas se quiser "algo a mais" (como eu), as dicas abaixo serão úteis (adapte-as para as suas necessidades)!

Como na maioria das distribuições, o openSUSE não traz codecs, drivers e softwares proprietários nos repositórios oficiais devido a patentes de software e licenças, mas eles estão disponíveis para a instalação nos repositórios da comunidade e de terceiros. E é isso que vamos fazer nesse pequeno tutorial.


Codecs


Vamos instalar os pacotes necessários para reproduzir a grande maioria dos formatos multimídia, para isto teremos que adicionar o repositório Packman, abra um terminal e digite:

sudo zypper ar -f http://packman.inode.at/suse/openSUSE_Leap_42.1/ packman

Caso queira reproduzir DVD's, adicione também o repositório libdvdcss com:

sudo zypper ar -f http://opensuse-guide.org/repo/openSUSE_Leap_42.1/ libdvdcss

Atualize os repositórios:

sudo zypper ref

* Será pedido a aceitação da chave de assinatura dos novos repositórios adicionados, como vemos na imagem abaixo, tecle s para confiar:

Aceitar a chave de assinatura dos novos repositórios


Feito isso, instale os codecs com:

sudo zypper in ffmpeg gstreamer-plugins-bad gstreamer-plugins-good gstreamer-plugins-libav gstreamer-plugins-ugly gstreamer-plugins-ugly-orig-addon k3b-codecs lame libdvdcss2

* Retire o pacote libdvdcss2 se não precisar reproduzir DVD's.








Será necessário alterar o fornecedor de alguns pacotes como mostrado na imagem (digite 1 para fazer essa alteração):

Alterar o fornecedor de pacotes

 Se mesmo após a instalação dos codecs não conseguir reproduzir os seus arquivos, remover o cache do GStreamer (armazenado na sua pasta de usuário) poderá resolver o problema, faça isso com o comando:

rm /home/$USER/.cache/gstreamer-1.0/*


VLC Media Player

O VLC é um dos melhores players da atualidade, toca praticamente todos os tipos de arquivos multimídia, instale-o com:

sudo zypper in --repo packman vlc vlc-codecs


Drivers de vídeo NVIDIA e AMD

Para instalar os drivers proprietários para sua placa de vídeo, acesse (faça isso somente se souber o modelo correto):

http://opensuse-community.org/

* Clique no modelo correspondente da sua placa e faça a instalação em um clique.

Se não sabe qual é o modelo da sua placa (no caso a NVIDIA), o recomendado é "deixar" o Zypper encontrar os drivers corretos para sua placa, para isso adicione o repositório NVIDIA:

sudo zypper ar -f http://download.nvidia.com/opensuse/leap/42.1 nvidia

Instale o driver correto com:

sudo zypper inr

Após a instalação, reinicie o computador.


Plugins


  • Flash Player

Para instalar o Flash Player, primeiro adicione o repositório Adobe:

sudo zypper ar --check --refresh http://linuxdownload.adobe.com/linux/x86_64/ adobe

Instale o pacote adobe-release-x86_64:

sudo zypper --no-gpg-checks in adobe-release-x86_64

Importe a chave de assinatura da Adobe (disponibilizada pelo pacote acima):

sudo rpm --import /etc/pki/rpm-gpg/RPM-GPG-KEY-adobe-linux

E instale o Adobe Flash Player com:

sudo zypper install flash-plugin


  • Java

Provavelmente o Java de código aberto (OpenJDK) já está instalado, se não:

sudo zypper install java-1_8_0-openjdk-plugin

  • Xine Browser Plugin

Plugin que habilita o suporte multimídia no Firefox e em outros browsers, instale com:

sudo zypper install xine-browser-plugin


Navegadores


  • Google Chrome

O openSUSE já traz o Mozilla Firefox como navegador padrão, mas caso queira utilizar o Google Chrome, adicione primeiro a chave GPG pública do Google com:

wget https://dl.google.com/linux/linux_signing_key.pub && sudo rpm --import linux_signing_key.pub

Adicione o repositório:

sudo zypper ar -f http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/x86_64 google

E instale com (o Google Chrome estável):

sudo zypper in google-chrome-stable

  • Opera

O Opera já está nos repositórios oficiais (Non-OSS), para instalar, basta somente um:

sudo zypper in opera


  • Vivaldi

O Vivaldi também pode ser instalado facilmente (lembrando que ele ainda não tem versão estável), basta adicionar o repositório:

sudo zypper ar -f http://repo.vivaldi.com/archive/rpm/x86_64/ vivaldi

E instalar com:

sudo zypper in vivaldi-snapshot


Esse é um tutorial básico de pós instalação do openSUSE, caso queira instalar outros aplicativos, é só abrir o YaST >> Gerenciamento de Software e pesquisar; pelo terminal (pesquisando pelo cliente de e-mail Thunderbird, por exemplo):

zypper se thunderbird

Ou pela página de pesquisa de software do openSUSE:


Pesquisa de software openSUSE


Com essas dicas, o seu openSUSE estará pronto para a maioria das atividades diárias.
Em caso de dúvidas, é só perguntar!

Até a próxima!

Referências:

http://opensuse-guide.org

https://en.opensuse.org/Package_repositories

https://en.opensuse.org/Adobe_Flash_Player

https://en.opensuse.org/SDB:NVIDIA_drivers

https://www.google.com/linuxrepositories/

https://en.opensuse.org/Opera


Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Instalação do openSUSE Leap

Veja nesse tutorial como instalar de forma simples e prática o openSUSE Leap 42.1 no seu computador!

O openSUSE Leap foi lançado a poucos dias atrás, como noticiamos nesta postagem, e uma das "características" desta versão, além de ter longo suporte, é que traz suporte somente a computadores com arquitetura 64 bits, computadores mais "antigos" que tem suporte a apenas sistemas de 32 bits não conseguirão fazer a instalação desse sistema (obviamente).

######

Já está disponível o openSUSE Leap 42.2, veja como instalar o mesmo no nosso outro tutorial, acesse:

www.blogopcaolinux.com.br/2016/11/Guia-de-instalacao-do-openSUSE-Leap-42-2.html

######


Utilizei neste tutorial o VirtualBox versão 5.0.10, mas os procedimentos são os mesmos, tanto para instalações em ambientes virtualizados como também no HD.

Caso queira instalar o openSUSE (ou qualquer outra distro) com outro sistema operacional já presente no HD (o famoso "dual boot"), recomendo:

  • Fazer BACKUP dos seus dados importantes, caso dê algo errado durante o processo;


  • Caso tenha o Windows instalado, faça a desfragmentação das partições pelo menos duas vezes antes de "mexer" no HDD;

  • Criar previamente as partições antes do processo de instalação do novo sistema operacional. Isso é uma boa ideia, pois o processo de gerenciamento de partições varia de distro pra distro, nem sempre o particionador terá uma interface de fácil uso, o que pode dificultar para algumas pessoas (principalmente se for em modo texto), por isso recomendo fazer as partições antes de instalar usando o GParted, como é explicado no artigo Redimensionando partições com o GParted e pelo Windows.

Vamos então fazer o download do openSUSE, utilizarei nesse tutorial o DVD de instalação, que é mais completo e não necessita de uma conexão à internet para concluir o processo, acesse:

https://software.opensuse.org/421/pt_BR

Download por torrent (recomendado):

http://download.opensuse.org/distribution/leap/42.1/iso/openSUSE-Leap-42.1-DVD-x86_64.iso.torrent

* Se utiliza o Windows, recomendo baixar esse arquivo usando o qBittorrent ou o Free Download Manager, se estiver no Linux, além do qBittorrent, recomendo também o Transmission.

Link direto:

http://download.opensuse.org/distribution/leap/42.1/iso/openSUSE-Leap-42.1-DVD-x86_64.iso

* No Windows, recomendo usar o Free Download Manager, no Linux, o uGet ou pela linha de comando (terminal) usando por exemplo o wget, como é explicado neste artigo.


Se utiliza o Windows, poderá gravar a .iso baixada como imagem num DVD virgem, usando o próprio utilitário do Windows ou usando outros programas como o Nero, CDBurnerXP, InfraRecorder e outros, o que achar melhor, no Linux também temos várias ferramentas para isso, como o K3B e o Brasero, como também fazer isso via terminal, como é explicado neste link.
Caso queira utilizar um pendrive para a instalação, no Windows, recomendo o Universal USB Installer ou o Rufus para esse processo, no Linux, recomendo que grave a ISO pelo terminal usando o dd, como é explicado neste link.

Tudo pronto, vamos começar a instalação, reinicie o seu computador com o DVD ou com o pendrive "espetado", se o computador estiver configurado corretamente para dar boot, aparecerá esta tela:

Tela de boot DVD openSUSE Leap

Assim que aparecer, clique em F2 e selecione o idioma de instalação (no caso, português do Brasil), após, selecione o menu Instalação e aperte Enter. Sistema carregado, aparecerá esta tela com a licença de uso do openSUSE, clique em "Avançar" para aceitar e continuar a instalação (confira se o layout do seu teclado está correto também):


Licença de uso openSUSE Leap

Em seguida, se estiver conectado à internet, vai surgir esta tela, com a opção de adicionar os repositórios antes da instalação, deixei esta opção marcada:

Adicionar repositórios antes da instalação

Logo após, será apresentada a tela de particionamento, como podem ver, estou utilizando um HD onde está instalado o Windows (o mesmo usado no artigo Redimensionando partições com o GParted e pelo Windows), vou utilizar a partição previamente criada para a instalação do openSUSE.






Caso não tenha outro sistema operacional no seu computador, poderá deixar o instalador do openSUSE fazer esse "trabalho" para você, basta aceitar o particionamento sugerido, ou modificá-lo, conforme as suas necessidades, como é o caso desta instalação; clique em Criar Configuração de Partição para editar o particionamento sugerido pelo instalador:

Particionamento sugerido pelo instalador do openSUSE

Na próxima tela, selecione o Particionamento personalizado e clique em "Avançar":

Seleção de particionamento personalizado

Agora vemos como está particionado nosso HD, como disse, utilizei o mesmo HD do tutorial de particionamento, as partições criadas estão indicadas como /dev/sda5 (16 GB - Ext4) e /dev/sda6 (4 GB - Swap), clique com o botão direito sobre a partição Ext4 (criada pra instalar uma distro) e selecione "Editar" (veja que não vou alterar as partições do Windows, indicadas na foto abaixo):

Partições existentes no HD

Partição selecionada, nas opções de formatação selecione Formatar a partição, o sistema de arquivos padrão é o Btrfs (mas sempre deixo como Ext4), e configure o ponto de montagem como "/" (raiz do sistema), confirme as mudanças clicando em "Encerrar":

Editando a partição raiz do sistema

Voltando à tela de particionamento principal, vemos a letra F em frente a partição que vai ser formatada, e isso é muito importante, todas as partições que estiverem indicadas com um "F" na frente SERÃO FORMATADAS, por isso, revise a configuração antes de prosseguir com a instalação, caso contrário, adeus partições! Fique atento!

Atenção ao selecionar as partições

A partição Swap já está formatada (criada previamente), deixe como indicado na imagem abaixo e clique em "Encerrar" (se por acaso você formatar essa partição e tiver um outro Linux no HD utilizando-a, provavelmente ele não irá ativar a swap na próxima vez que inicializar caso a partição swap esteja indicada pelo UUID no fstab, você terá que editar as configurações dessa partição no "fstab" dele, indicando o novo UUID da partição swap):

Configurando a partição swap

Após esse processo, revise todas as mudanças a serem feitas nas suas partições, se tudo estiver certo, clique em "Aceitar"; na tela seguinte, será mostrada as mudanças que serão realizadas, confirme clicando em "Avançar":

Mudanças a serem feitas no HD

Na próxima tela selecione a região e o fuso horário:

Seleção de região e fuso horário

A seguir, será apresentado os repositórios a serem adicionados:

Selecionar os repositórios a serem adicionados

Após selecionado, aguarde a adição e atualização dos repositórios:

Atualizando os repositórios

Agora é hora de selecionar o ambiente gráfico, o padrão do openSUSE é o KDE, claro que poderá escolher o GNOME além de vários outros disponíveis, como Xfce, LXDE, Enlightenment... após selecionado, clique em "Avançar":

Seleção de área de trabalho

Insira seu nome de usuário e crie uma senha (aconselho desmarcar a opção de login automático):

Criar usuário e senha

A tela seguinte mostrará as configurações de instalação, em Executando Boot aconselho instalar o GRUB na MBR, para isto basta clicar onde está indicado a seta do mouse (no caso já tinha clicado antes):

Configurações da instalação

Poderá clicar em "Instalar" para começar o processo de instalação do openSUSE, caso queira instalar algum pacote extra (é claro que após a instalação poderá fazer isso também), clique sobre o link "Software", mostrado na tela acima, aparecerá essa tela (selecionei também o desktop MATE):

Seleção de softwares adicionais

Clicando em "Detalhes" será mostrado os pacotes individuais, poderá instalar um aplicativo extra ou remover algum da instalação padrão (no caso, instalei o pacote HPLIP, necessário pra gerenciar minha impressora HP):


Seleção de softwares adicionais

Feito os "ajustes" necessários, clique em "Aceitar", irá retornar à tela de Configuração de instalação, clique em "Instalar":


Confirmar a instalação

Agora é só aguardar a instalação, alguns pacotes serão baixados da internet, então, dependendo da velocidade, poderá demorar bastante esse processo:


Instalando o openSUSE Leap

Após, o computador será reiniciado e aparecerá a tela do GRUB semelhante a esta:

Tela do GRUB em dual boot com o Windows 7

Agora é só desfrutar do openSUSE Leap! E como diz o lema, "Tenham um monte de diversão!"


openSUSE Leap 42.1 com ambiente KDE 5




Boa sorte!


Aproveite e veja também algumas dicas de pós-instalação do openSUSE Leap, acesse:

https://opcaolinux.blogspot.com/2015/11/opensuse-leap-421-guia-de-pos-instalacao.html




Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
https://en.opensuse.org/Portal:42.1

Lançada a versão final do openSUSE Leap 42.1, saiba todos os detalhes e faça já o download!

Foi liberado nesta quarta-feira (04/11/2015) a tão esperada versão do openSUSE Leap 42.1, que tem como base o SUSE Linux Enterprise 12 (SLE 12) e o Kernel 4.1 LTS, garantindo um sistema estável e com um longo suporte. Dentre outras novidades incluídas nesta versão é o LibreOffice 5.0, além de ser construído somente para a arquitetura 64 bits, não podendo ser instalado em hardwares mais antigos que não tenham suporte para tal arquitetura. Dentre os principais ambientes de trabalho disponíveis nesta versão estão: GNOME 3.16.2, Plasma 5 (5.4.2), Xfce 4.12.1, LXDE 0.99.0, Enlightenment 19 (0.19.12) e Mate 1.10. Veja os screenshots acessando: https://en.opensuse.org/Screenshots.


Confira o anúncio oficial em:


https://en.opensuse.org/Release_announcement

https://news.opensuse.org/2015/11/04/opensuse-leap-42-1-becomes-first-hybrid-distribution/


Notas de lançamento:


http://doc.opensuse.org/release-notes/x86_64/openSUSE/Leap/42.1/







Faça já o download do openSUSE Leap, acesse:


https://software.opensuse.org/


DVD de instalação (cerca de 4.3GB):


Link direto:

http://opensuse.c3sl.ufpr.br/distribution/leap/42.1/iso/openSUSE-Leap-42.1-DVD-x86_64.iso

Torrent (recomendado):

http://download.opensuse.org/distribution/leap/42.1/iso/openSUSE-Leap-42.1-DVD-x86_64.iso.torrent


Instalação via rede (cerca de 85MB):


Link direto:

http://opensuse.c3sl.ufpr.br/distribution/leap/42.1/iso/openSUSE-Leap-42.1-NET-x86_64.iso


Referências:


https://en.opensuse.org/Portal:Leap




Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

Veremos nesse tutorial como redimensionar uma partição do HD onde está instalado o Windows 7 e criar outras, usando o GParted e opcionalmente pelo Windows.

 Dando continuidade a esta série de dicas, hoje mostrarei como redimensionar a partição do Windows e criar outras a partir do espaço livre.

Antes de tudo, ao fazer qualquer modificação nas partições já existentes no seu HD, é ESSENCIAL fazer BACKUP dos seus dados para um outro HD / Pendrive / DVD, enfim, uma unidade de armazenamento que não seja o HD que irá trabalhar.

 Neste tutorial, utilizei o GParted Live versão 0.23.0-1 e um disco virtual de 50 GB (com tabela de partições MBR) onde está instalado o Windows 7, criado no VirtualBox 5.0.8.

Situação 2: Quero redimensionar a partição do Windows e liberar espaço em disco para instalar alguma distribuição Linux.

Objetivo: Utilizar o GParted para redimensionar a partição do Windowsrealizar todo o processo.








Redimensionar a partição do Windows com o GParted


 Antes de realizar os procedimentos abaixo é necessário que FAÇA A DESFRAGMENTAÇÃO da partição do Windows (pelo menos 2 vezes), caso contrário poderá causar problemas no Windows, ok? Veja como fazer isso acessando:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/p/como-desfragmentar-o-hd.html

 Após, baixe a versão mais recente do GParted, acesse:

  http://gparted.org/download.php

 Feito isso, grave a ISO baixada em um CD/DVD virgem ou crie um pen drive bootável com a mesma. Veja como criar um pen drive bootável no Windows acessando o tutorial:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/10/pen-drive-bootavel-do-linux-no-windows-rufus.html


 Supondo que já tenha feito a desfragmentação da partição que irá redimensionar, reinicie o computador e dê boot com o Live CD/DVD ou pen drive bootável do GParted criado anteriormente. Após o carregamento do GParted, você verá uma tela semelhante a esta:


 Nela observamos que a partição do Windows é indicada por /dev/sda2 (varia de máquina pra máquina), identifique e selecione a partição onde o seu Windows está instalado e em seguida clique em "Redimensionar/Mover" (no meu caso vou diminuir a partição do Windows 7 em 20 GB (1024 x 20 = 20480 MB)):


 Após definir o tamanho a diminuir da partição selecionada, clique novamente em "Redimensionar/Mover", depois, clique em "Apply" para confirmar as mudanças.

 Com isso você criou um espaço livre no seu HD, que poderá ser utilizado, por exemplo, para instalar alguma distribuição Linux ou simplesmente criar uma nova partição para armazenar os seus dados! Muito simples, não é?!


Criando novas partições com o GParted


 Abaixo você vai aprender a criar novas partições com o GParted a partir do espaço livre que criou anteriormente (no caso, para instalar uma distro Linux).

 Selecione a área não alocada que surgiu e clique em "Novo"; vamos criar duas partições para a instalação de uma distribuição Linux, uma para a partição raiz ( / ) e outra para a área de troca ( Swap ).

 Como o HD que está sendo feito este tutorial tem uma tabela de partições MBR, é possível ter apenas 3 partições primárias e outra estendida (num HD com tabela de partições GPT é possível ter até 128 partições, todas primárias); no meu caso, vou criar uma partição estendida e logo após criar as duas partições citadas acima (mas isso não é regra, somente uma opção, podendo também criar uma partição primária para a instalação do sistema e deixar a Swap dentro da partição estendida ou vice-versa, no caso de um HD com tabela de partições MBR):


 Clique em "Add" e aplique as mudanças clicando em "Apply".

 Feito isto, crie as partições a partir do espaço não alocado que está dentro da partição estendida, no caso criei a partição raiz com 16 GB = 16384 MB e a partição Swap com o restante do disco (o tamanho ideal para a Swap é duas vezes a quantidade de memória RAM do computador, por exemplo, se você tiver 4 GB de RAM, deixe 8 GB para a Swap. Mas isso fica a critério de cada um, eu mesmo tenho 7 GB de RAM no computador e sempre deixei a Swap com 4 GB, mas mesmo assim nunca utilizei 30% dela):


 Após definir o tamanho das partições clique em "Add", logo após, confirme as mudanças no HD clicando em "Apply", o resultado final será semelhante a este:


 Agora é só escolher as partições criadas quando for instalar alguma distribuição Linux!

 Até o próximo tutorial!

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

Esta é uma série de dicas para quem deseja aprender a manipular as partições do seu HD, usando um aplicativo de fácil uso, o GParted.

Já lembro que, antes de tudo, ao fazer qualquer modificação nas partições já existentes no seu HD, é ESSENCIAL fazer BACKUP dos seus dados para um outro HD / Pendrive / DVD, enfim, uma unidade de armazenamento que não seja o HD que irá trabalhar.

Neste tutorial, utilizei o GParted Live versão 0.23.0-1 e um disco virtual de 50GB criado no VirtualBox 5.0.6, mas os procedimentos são os mesmos, tanto para um "HD virtual" quanto para um "HD físico".


Situação 1: Comprei um HD novo mas não sei criar as partições.

Objetivo: Criar 4 partições, sendo uma para instalação de uma distribuição Linux (15GB-EXT4), uma para a pasta /home do usuário (15GB-EXT4), uma para para dados diversos/backups (17GB-NTFS) e a outra para a área de troca (restante do disco-Swap).

Antes (obviamente) deverá conectar seu HD no PC, se não souber, siga este tutorial:

Manutenção de PCs: como instalar HD - TechMundo

Vamos usar o GParted para este procedimento, se por acaso tenha guardado um DVD Pendrive com o Ubuntu, basta somente iniciar o seu computador com ele na unidade de CD/DVD, escolher o modo "Testar Ubuntu" e procure pelo GParted.






Caso não tenha, baixe a ".iso" do GParted Live em:

http://gparted.org/download.php

* Baixe a versão estável (Stable Releases), caso não saiba a arquitetura suportada pelo seu PC, baixe a versão i586, link para todas as versões e arquiteturas:

http://sourceforge.net/projects/gparted/files/gparted-live-stable/

Grave como imagem em um CD virgem (ou pendrive), após, reinicie seu computador com ele dentro da unidade de disco ou "espetado" numa entrada USB, após, se seu SETUP estiver configurado corretamente, irá aparecer essa tela (tecle "Enter"):


Na próxima tela, vamos configurar o layout do teclado, use as setas do teclado, selecione "Select keymap from arch list" e tecle "Enter":


Selecione o layout correto do seu teclado, no meu caso é QWERTY:


Escolhemos o idioma, no caso o "Português Brasileiro" é a opção 01:


Na próxima tela tecle somente "Enter":


Após, irá aparecer a tela do GParted:


Vamos criar as partições então, mas antes temos que criar uma tabela de partição, ao clicar em "Novo" é apresentada essa opção:


Faremos o que é indicado então, Vá em Dispositivo >> Criar tabela de partição... e selecionar o tipo de tabela de partição:


Os tipos de tabela de partição mais usados ultimamente são MBR (mais antigo) e GPT (mais recente), a diferença básica entre as duas é que MBR suporta no máximo 4 partições primárias (ou 3 primárias e uma estendida, dentro desta poderá criar outras partições lógicas), já com o GPT é possível criar até 128 partições primárias. Nesse exemplo, criarei uma tabela de partição MBR (MS-DOS, como indicado na imagem acima), após escolhido, clique em "Apply" (aplicar); lembrando que ao fazer isso em um disco já particionado irá apagar todas as partições nele, então, fique atento a isso e confira se selecionou o HD correto.

Agora podemos criar as partições, clique em "Novo", lembrando que 1GB = 1024MB, então, para criarmos uma partição de 15GB, por exemplo, basta multiplicar 1024 x 15 = 15360MB = 15GB, como vemos na imagem:


* Deixei como partição primária, escolhi o sistema de arquivos EXT4, nomeei esta nova partição como "Linux-1" e cliquei em "Add" (note que ainda não foi feita esta operação no HD).

O procedimento é o mesmo para as outras partições, basta selecionar o espaço não alocado (em cinza), clicar em "Novo", escolher o tamanho, o sistema de arquivos para a nova partição e clicar em "Add". Como o disco está em MBR, poderemos ter no máximo 4 partições primárias, como já foram criadas 3, a quarta (Swap) ficará numa partição estendida:


Feito isso, clique novamente no espaço não alocado restante, clique em "Novo", selecione o sistema de arquivo "linux-swap" da lista e clique novamente em "Add":


Tudo pronto, agora é hora de "escrever" as mudanças no HD, clique em "Apply", se estiver tudo correto, confirme as alterações clicando em "Apply":


Finalmente, HD formatado e pronto para ser usado!


Para sair do GParted e desligar o computador, dê dois cliques no ícone "Exit" na parte superior, selecione "Shutdown" e clique em "OK":


Terminamos esse tutorial, em breve, mais tutoriais sobre manipulação de partições, até +!



Referências:


http://gparted.org/display-doc.php?name=help-manual&lang=pt_BR

https://pt.wikipedia.org/wiki/Partição

https://pt.wikipedia.org/wiki/Master_Boot_Record

https://pt.wikipedia.org/wiki/Tabela_de_Partição_GUID

http://pplware.sapo.pt/gadgets/hardware/qual-a-diferena-entre-mbr-e-gpt/