Principais categorias:

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

 O TeamViewer é o mais popular software para acesso remoto, disponível para Linux, Chrome OS, Windows e para smartphones Android, iOS e BlackBerry. Além de estabelecer conexões de entrada e saída para suporte ou acesso a outros computadores em tempo real, com o TeamViewer também é possível participar de reuniões e apresentações, conversar com outras pessoas ou grupos e faça chamadas em vídeo, tudo isso através de uma interface simples e fácil de usar. Apesar de ser um software proprietário, o TeamViewer é gratuito para uso pessoal e não comercial; para mais detalhes, basta acessar o site oficial:

Conheça mais sobre o TeamViewer  

 Por muitos o TeamViewer para Linux foi baseado no Wine, porém, foi anunciado a alguns dias atrás uma nova versão nativa para Linux desenvolvida em Qt, com suporte a sistemas de 64 bits (sem dependências de 32 bits) e, para ficar ainda melhor, foi criado um repositório oficial para as principais distribuições RPM e DEB. Com isso, você sempre terá a versão mais recente do TeamViewer no seu sistema, não sendo necessário baixar manualmente o pacote de instalação a cada nova atualização! :)

 Neste tutorial você vai aprender a instalar o TeamViewer 13 no seu Debian, no Ubuntu, Linux Mint e em sistemas derivados. Vamos lá então?!

  Tutorial testado no Debian 9.3 "Stretch", Ubuntu 17.10 "Artful Aardvark" e no Linux Mint 18.3 "Sylvia".
  O TeamViewer não é compatível com o servidor gráfico Wayland, sendo necessário fazer login na Sessão com Xorg para utilizá-lo, ok?
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
SUSE Cloud Application Platform - A mais nova e moderna plataforma para desenvolvimento de aplicativos e grupos de operações da SUSE

 A SUSE, pioneira em software open source, continua a sua busca incessante por auxiliar as empresas em agilizarem ainda mais os negócios, sempre por meio de soluções em código aberto. Buscando um portfólio cada vez mais completo voltado para a infraestrutura definida por software, a SUSE lança a solução SUSE Cloud Application Platform.

 A nova solução fornece às empresas a plataforma de aceleração para entrega de aplicativos nativos para computação em nuvem, baseado na tecnologia open souce Platform-as-a-Service (PaaS) mantida pelo projeto Cloud Foundry, do qual a SUSE é um membro Platinum junto às empresas Cisco, Dell EMC, IBM, Pivotal, SAP e VMware. A solução da SUSE utiliza também a estrutura de gerenciamento de containers amplamente adotada em todo o mundo, Kubernetes. As duas tecnologias foram associadas com o intuito de ajudar os times de desenvolvimento e operações, que aproveitem ambas as tecnologias e acelerem a entrega de aplicativos, reduzindo o time-to-market.

"Com o SUSE Cloud Application Platform, apoiamos múltiplas abordagens para a construção e entrega de aplicativos baseados em containers", relata Gerald Pfeifer, vice-presidente de Produtos e Programas de Tecnologia da SUSE. "Estamos juntando duas inovações open source ágeis – Kubernetes e Cloud Foundry – como o núcleo de uma solução de qualidade empresarial confiável. Esta solução inclui a única distribuição de Cloud Foundry em container e a primeira baseada em Linux comprovadamente de nível enterprise, o SUSE Linux Enterprise. Os CIOs podem agora adotar com confiança essas tecnologias para acelerar a produção de aplicativos".

 Utilizada pelas equipes de desenvolvimento de software e operações, a solução otimiza o gerenciamento do ciclo de vida de aplicativos tradicionais e dos novos aplicativos nativos na nuvem. Combinando as tecnologias Cloud Foundry e Kubernetes, líderes na área, a plataforma facilita a integração da cultura de DevOps, automatizando as entregas de aplicativos, acelerando a inovação, melhorando a resposta na capacidade da infraestrutura de TI e maximizando o retorno do investimento. Também facilita a acomodação de uma ampla gama de arquiteturas de aplicativos e processos de entrega.

"Kubernetes e Cloud Foundry estão se tornando padrões de plataformas que suportam a entrega de aplicativos baseados em containers hoje. As empresas prendem-se em uma luta desnecessária para escolher entre essas plataformas, quando, na realidade, elas se complementam muito bem. O SUSE Cloud Application Platform coloca a SUSE em uma excelente posição para ajudar as empresas a se beneficiarem dos recursos combinados dessas importantes tecnologias", afirma Matt Eastwood, vice-presidente sênior de negócios, datacenters, infraestrutura na nuvem e grupos de pesquisa de desenvolvedores da IDC.

 Entre outras capacidades, o SUSE Cloud Application Platform simplifica o Cloud Foundry com uma abordagem única, alavancando Kubernetes para orquestração de uma versão em container de Cloud Foundry, o SUSE Cloud Application Plataform. A plataforma de aplicativos SUSE Cloud é baseada no SUSE Linux Enterprise, oferecendo Kubernetes e Cloud Foundry em um sistema operacional específico para containers com suporte enterprise.

"É incrível ver a SUSE continuar aproveitando a força do open source, levando a implementação de Cloud Foundry Application Runtime, colocando em containers e gerenciando com Kubernetes", diz Abby Kearns, diretor executivo da Cloud Foundry Foundation. "Nós também estamos entusiasmados por vê-los injetar o SUSE Linux Enterprise nesta distribuição, oferecendo às empresas a capacidade de executar os containers Cloud Foundry com base em um sistema operacional de nível enterprise. A SUSE atingiu uma marca crucial com esta distribuição e, até agora, a resposta dada por toda a comunidade Cloud Foundry foi muito positiva".


"As empresas buscam inovar sempre reduzindo o time-to-market das aplicações, com a criação do modelo 2 da TI, sempre em busca por soluções para quebrar a barreira de plataformas e o vendor lock-in, a solução SUSE Cloud Application Plataform permite as empresas possuir uma infraestrutura de aplicações escalável, automatizada e resiliente. Por utilizar o padrão Cloud Foundry, o cliente poderá expandir suas aplicações para nuvem pública com a mesma facilidade utilizada on-premise", ressalta Aslan Carlos, principal engenheiro de sistemas da SUSE.


"Sendo um membro de Cloud Foundry Foundation há mais de cinco anos e experimentando praticamente todas as suas vertentes, estamos realmente impressionados com o trabalho realizado pela SUSE. O uso de Kubernetes simplifica a implantação, melhora a utilização da infraestrutura e garante uma integração fácil em ambientes de TI. A escolha da tecnologia e o modelo comercial de distribuição de código aberto reduzem a barreira de adoção de Cloud Foundry e aproximam-se de muitas empresas médias e grandes", acrescenta Andrei Yurkevich, diretor de tecnologia da Altoros.


 O SUSE Cloud Application Plataform já está disponível. Para obter mais informações, acesse o site suse.com/products/cloud-application-platform.


Sobre a empresa

 A SUSE, pioneira em software open source, fornece soluções confiáveis e interoperáveis de Linux, infraestrutura de nuvem e armazenamento que dão às empresas maior controle e flexibilidade. Com mais de 20 anos de excelência em engenharia, um serviço excepcional e um ecossistema de parceiros sem igual, a SUSE fornece produtos e suporte que ajudam os clientes a gerenciar a complexidade, reduzir custos e fornecer serviços essenciais com confiança. Os relacionamentos duradouros que a companhia construiu permitem adaptar e entregar a inovação mais inteligente que os clientes precisam para ter sucesso hoje e amanhã. Para obter mais informações, visite www.suse.com.

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

 O Projeto GNOME anunciou na semana passada (dia 14 de março de 2018), após mais 6 meses de trabalho árduo da comunidade, a versão final do GNOME 3.28 "Chongqing". Incorporando mais de 25 mil alterações no código feitas por aproximadamente 838 colaboradores, esta versão contém novos recursos, pequenas melhorias e também correções de erros.

 O codename "Chongqing" foi em reconhecimento à equipe de organização do GNOME.Asia 2017, evento este que ocorreu em outubro de 2017 na cidade chinesa de Chongqing.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Instalando o driver da NVIDIA no openSUSE

 Devido a questões legais, a maioria das distribuições Linux (como o openSUSE) não incluem os codecs proprietários nos seus repositórios oficiais, o mesmo se aplica aos drivers de vídeo da NVIDIA. Com isso, ao realizar uma instalação "limpa" do openSUSE (Leap ou Tumbleweed) é carregado o Nouveau, um driver livre e de código aberto desenvolvido através da engenharia reversa do driver original.

 Apesar de funcionar perfeitamente na maioria das situações, o Nouveau pode não ser o mais adequado para quem deseja obter o máximo desempenho da placa em softwares (principalmente em jogos). Por isso, preparamos este tutorial ensinando a maneira mais fácil de instalar o driver proprietário da NVIDIA no seu openSUSE Leap ou openSUSE Tumbleweed. Vamos lá?!

  Tutorial testado num PC/Desktop com o openSUSE Tumbleweed e também no openSUSE Leap 42.3, utilizando uma GTX 1060 de 3GB.

Os principais tópicos deste tutorial:

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Passo a passo de instalação do IRPF 2018 no Linux

 Chegou a hora de acertar as contas com a Receita Federal, pois foi liberado para download hoje, dia 26 de fevereiro, o Programa Gerador da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2018.

 O prazo de entrega da declaração (referente ao ano-base 2017) comerá nesta quinta-feira, dia 1º de março de 2018 e vai até às 23h59 do dia 30 de abril. Estão obrigados a prestar contas à Receita todos que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$28.559,70 ou, no caso de atividade rural, quem teve uma receita bruta superior a R$142.798,50.

 A partir deste ano, o painel do sistema terá informações das fichas que poderão ser mais relevantes para o contribuinte durante o preenchimento da declaração. Além disso, será obrigatória a apresentação do CPF para dependentes a partir de 8 anos, completados até o dia 31 de dezembro de 2017.

 Para mais detalhes, acesse o site oficial da Receita Federal e tire todas as suas dúvidas em relação ao Imposto de Renda Pessoa Física de 2018:

IRPF 2018 - Receita Federal  

 Precisa fazer a sua declaração do Imposto de Renda e utiliza alguma distribuição Linux (openSUSE, Fedora, Ubuntu, Debian, Linux Mint, etc.)? Então confira, nesta dica, como fazer a instalação do IRPF 2018 utilizando a versão multiplataforma do programa.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

 Quem decide instalar alguma distribuição Linux num notebook/netbook com o LXDE, que é um ambiente de área de trabalho leve e rápido, desenvolvido principalmente para computadores lentos ou com baixa performance, poderá enfrentar alguns problemas com o touchpad, já que este vem desabilitado por padrão (pelo menos no Fedora 27 LXDE).

 Para resolver isso, o nosso leitor Luís Moreira preparou essa dica rápida ensinando como habilitar/ativar o touchpad no desktop LXDE.

  Tutorial testado no Fedora 27 LXDE, mas pode ser executado em qualquer distribuição Linux com o ambiente LXDE.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Lançado KDE Plasma 5.12 LTS, confira as novidades!

 Conforme o planejado, foi anunciado hoje, dia 6 de fevereiro de 2017, o KDE Plasma 5.12, a segunda versão de longo tempo de suporte (LTS) do projeto KDE, que chega com várias novas funcionalidades e melhorias.
 A equipe de desenvolvimento do Plasma se empenhou bastante para este lançamento, fazendo uma triagem e correção de erros em todos os aspectos da base de código. Um dos resultados disso foi a redução no tempo para iniciar a sessão do ambiente de trabalho do Plasma e do consumo de memória RAM e processador quando está em execução.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

 O LibreOffice é uma das melhores e mais conhecidas suítes de escritório de código aberto, destinado tanto para uso pessoal quanto comercial e disponível gratuitamente para Linux, Windows, macOS e sistemas Unix-like, além de contar com um visualizador de documentos para Android. É um projeto da The Document Foundation (organização sem fins lucrativos fundada em 2010 pelos membros do OpenOffice.org) desenvolvido, aperfeiçoado e distribuído por uma comunidade internacional de voluntários.

 Com uma interface limpa e ferramentas poderosas, o LibreOffice ajuda você a liberar a sua criatividade e aumentar a produtividade, oferecendo todas as funções esperadas de uma suíte profissional: LibreOffice Writer (editor de textos), LibreOffice Calc (editor de planilhas eletrônicas), LibreOffice Impress (editor de apresentações), LibreOffice Draw (gráficos vetoriais e fluxogramas), LibreOffice Base (aplicativo de banco de dados) e o LibreOffice Math (editor de equações e fórmulas).



 Diferente de outras suítes comerciais, o LibreOffice utiliza por padrão o ODF (OpenDocument Format), um formato de documento moderno e de código aberto baseado em XML (eXtensible Markup Language), que podem ser facilmente descompactados e lidos por qualquer editor de texto. Apesar disso, é compatível também com os formatos de documentos da suíte de escritório da Microsoft (Word, Excel, PowerPoint e Publisher).

 Para conhecer mais detalhes a respeito do LibreOffice e todas as suas funcionalidades, acesse o site oficial do projeto:


 Foi lançado na última quarta-feira, dia 31 de janeiro de 2018, o LibreOffice 6.0, versão esta que trouxe vários novos recursos e melhorias adicionados aos seus componentes. Dentre algumas das novidades estão o recurso de assinatura e criptografia de documentos com OpenPGP, novas funções de planilha para o Calc, um novo estilo de tabela padrão do Writer, a possibilidade de exportar os documentos para o formato EPUB3, inclusão dos ícones do elementary OS e duas novas variantes da "Notebookbar". Veja no vídeo as principais novidades desta versão:


 O anúncio oficial você pode conferir no blog da The Document Foundation, acesse:

Anúncio do LibreOffice 6.0 - The Document Foundation Blog

 Nas distribuições rolling release, como openSUSE Tumbleweed e o Fedora Rawhide, esta nova versão já está disponível (ou será disponibilizada em breve) nos repositórios oficiais, mas se você não quer esperar e deseja testar agora todas as novidades do LibreOffice 6.0 no seu openSUSE Leap ou Fedora Workstation, confira este passo a passo de instalação manual que preparamos.

  Tutorial testado no openSUSE Leap 42.3 e no Fedora 27 Workstation.

Os principais tópicos deste tutorial: