2017
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
SUSE irá realizar uma webinar para falar sobre software para Enterprise Storage

 A SUSE, empresa pioneira em software open source, infraestrutura de nuvem e armazenamento, promoverá um webinar com o objetivo de esclarecer dúvidas sobre a utilização do software e o hardware de storage. A ocasião será uma oportunidade para esclarecer pontos de como o software e o hardware de storage podem ser utilizados separadamente.

 A abordagem adequada para o Storage definido por Software deve fornecer uma solução altamente escalável que reduz drasticamente os custos de armazenamento e despesas operacionais. Esse modelo vem para reduzir a complexidade, já que o software, responsável por controlar as capacidades do sistema, é independente do hardware.

 Durante o webinar, Aslan Ramos, engenheiro de sistemas da SUSE, discutirá a importância que esse assunto vem ganhando nos últimos anos, além de abordar questões relevantes do SUSE Enterprise Storage, solução de armazenamento inteligente definida por software, com tecnologia Ceph, a qual permite transformar a infraestrutura de armazenamento de uma empresa a fim de reduzir custos ao fornecer uma escalabilidade ilimitada.

 A participação no webinar é gratuita e possui vagas limitadas, para se inscrever basta acessar este link.

SERVIÇO

     Webinar: Mais armazenamento por Menos com Storage Definido por Software

     Palestrante: Aslan Ramos, engenheiro de sistemas da SUSE

     Data: 14 de dezembro de 2017

     Horário: 10h

     Inscrições: https://goo.gl/U1kJvb


Sobre a empresa

 A SUSE, pioneira em software open source, fornece soluções confiáveis e interoperáveis de Linux, infraestrutura de nuvem e armazenamento que dão às empresas maior controle e flexibilidade. Com mais de 20 anos de excelência em engenharia, um serviço excepcional e um ecossistema de parceiros sem igual, a SUSE fornece produtos e suporte que ajudam os clientes a gerenciar a complexidade, reduzir custos e fornecer serviços essenciais com confiança. Os relacionamentos duradouros que a companhia construiu permitem adaptar e entregar a inovação mais inteligente que os clientes precisam para ter sucesso hoje e amanhã. Para obter mais informações, visite www.suse.com.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Instalando a versão mais recente do TeamViewer no openSUSE, Fedora e no CentOS

 O TeamViewer é o mais popular software para acesso remoto, disponível para Linux, Chrome OS, Windows e para smartphones Android, iOS e BlackBerry. Além de estabelecer conexões de entrada e saída para suporte ou acesso a outros computadores em tempo real, com o TeamViewer também é possível participar de reuniões e apresentações, conversar com outras pessoas ou grupos e faça chamadas em vídeo, tudo isso através de uma interface simples e fácil de usar. Apesar de ser um software proprietário, o TeamViewer é gratuito para uso pessoal e não comercial; para mais detalhes, basta acessar o site oficial:

Conheça mais sobre o TeamViewer  

 Por muitos o TeamViewer para Linux foi baseado no Wine, porém, foi anunciado a alguns dias atrás uma nova versão nativa para Linux desenvolvida em Qt, com suporte a sistemas de 64 bits (sem dependências de 32 bits) e, para ficar ainda melhor, foi criado um repositório oficial para as principais distribuições RPM e DEB. Com isso, você sempre terá a versão mais recente do TeamViewer no seu sistema, não sendo necessário baixar manualmente o pacote de instalação a cada nova atualização! :)

 Neste tutorial você vai aprender a instalar o TeamViewer 13 no seu openSUSE, no Fedora e no CentOS, além de adicionar o repositório oficial no seu sistema. Vamos lá?!

  Tutorial testado no openSUSE Tumbleweed, openSUSE Leap 42.3, Fedora 27 Workstation e no CentOS 7.3.
  O TeamViewer não é compatível com o servidor gráfico Wayland, sendo necessário fazer login na Sessão com Xorg para utilizá-lo, ok?
 FIQUE ATENTO - Caso esteja utilizando o CentOS 7, é necessário que tenha o repositório EPEL habilitado no seu sistema. Para adicioná-lo, basta executar o comando abaixo:

sudo yum install https://dl.fedoraproject.org/pub/epel/epel-release-latest-7.noarch.rpm
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
SUSE completa 25 anos com atuação especializada em open source

 Há 26 anos, Linus Torvalds, um universitário do curso de ciência da computação da Finlândia, deu início a criação de um sistema operacional gratuito como um "hobby". O que ele não sabia é que esse sistema operacional se tornaria o maior de código aberto do mundo com o nome de Linux, em homenagem ao seu criador.

 Hoje, o Linux é utilizado pelas mais diversas empresas nos mais variados processamentos de informações. O sistema é utilizado, por exemplo, com as soluções Open Source da SUSE, empresa pioneira em infraestrutura de software baseada em código aberto, em ambientes de missão crítica.

 A SUSE, que foi a primeira a acreditar nesse projeto e apostar em uma distribuição Linux Enterprise, completa 25 anos em 2017 e reforça seus investimentos em um portfólio que atenda as exigências do mercado para armazenamento definido por software com o crescimento da virtualização de servidores. Ao longo desses anos, a companhia acumulou expertise e reconhecimento do mercado global, já tendo atendido milhares de clientes, além de ter apresentado um crescimento expressivo nos últimos anos, que atingiu 18% globalmente em 2016.

 Tal fortalecimento é parte da estratégia de expansão da empresa que, com a conclusão da aquisição de tecnologias e talentos da Hewlett Packard Enterprise (HPE), passou a trabalhar em uma oferta 100% open source focada na expansão da solução Openstack de Infraestrutura as a Service (IaaS) e acelerou sua entrada no mercado em ascensão de Plataforma as a Service (PaaS), tudo baseado no Cloud Foundry.






 Quanto às novidades da empresa no setor, destaque para a mais recente delas, a Plataforma SUSE CaaS (Container as a Service), a qual permite o desenvolvimento e acompanhamento para aplicativos e serviços baseados em containers.

 O CaaS tem se tornado cada vez mais relevante, visto que as organizações que procuram melhorar a agilidade comercial estão adotando uma abordagem nessa infraestrutura para suportar a contenção de suas aplicações. A maioria está em containers de aplicativos já existentes ou usando uma moderna arquitetura de microservices. A nova plataforma da SUSE suporta ambas as táticas, ajudando os clientes a serem mais ágeis e a reduzirem os custos operacionais.

 De acordo com uma pesquisa realizada pela própria companhia, 95% das empresas expressaram interesse na abordagem de armazenamento flexível e quase dois terços, ou seja, 63%, disseram que devem adotar o storage definido por software nos próximos 12 meses. Com isso, surge a importância de ter um sistema capaz de trazer esta tecnologia para os aplicativos como container.

 Com uma atuação global, a SUSE vem olhando com mais cuidado para determinados mercados a fim de solidificar sua atuação. Um exemplo disso é o que vem acontecendo na América Latina, principalmente no Brasil, onde, nos últimos dois anos, a companhia duplicou sua equipe de vendas e está constantemente investindo na contratação de engenheiros e desenvolvedores locais, uma medida que visa fomentar cada vez mais a capacitação desses profissionais, além de prestigiar o que o mercado brasileiro tem de melhor.


"Nossos investimentos em capacitação profissional local e em plataformas que auxiliam cada vez mais as comunidades reforçam que nossos 25 anos de existências trazem experiência ao nosso crescente portfólio de aplicações", observa Sérgio Toshio, VP e General Manager da SUSE na América Latina.


 Também como parte da estratégia de reforço de sua atuação nesses 25 anos, recentemente a companhia não tem medido esforços para estreitar parcerias com grandes nomes do mercado de tecnologia como Microsoft, SAP, IBM, HPE, Lenovo e Fujitsu, entre outros. Esta última, inclusive, lançou recentemente um novo serviço de suporte em parceria com a SUSE, para atender a demanda da indústria em um programa de Linux corporativo.


Sobre a empresa

 A SUSE, pioneira em software open source, fornece soluções confiáveis e interoperáveis de Linux, infraestrutura de nuvem e armazenamento que dão às empresas maior controle e flexibilidade. Com mais de 20 anos de excelência em engenharia, um serviço excepcional e um ecossistema de parceiros sem igual, a SUSE fornece produtos e suporte que ajudam os clientes a gerenciar a complexidade, reduzir custos e fornecer serviços essenciais com confiança. Os relacionamentos duradouros que a companhia construiu permitem adaptar e entregar a inovação mais inteligente que os clientes precisam para ter sucesso hoje e amanhã. Para obter mais informações, visite www.suse.com.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Como instalar o AnyDesk no openSUSE e no Fedora

 O AnyDesk é um software proprietário para acesso remoto com integração da área de transferência e suporte ao compartilhamento de arquivos, disponível gratuitamente (uso não comercial) para Linux, FreeBSD, macOS e Windows.
 Com uma interface simples e de fácil uso, o AnyDesk é, sem dúvidas, uma excelente alternativa ao TeamViewer. Ele utiliza um codec de vídeo inovador, o DeskRT, projetado especificamente para as interfaces de usuário capaz de comprimir e transmitir os dados a 60 FPS sem perda de qualidade, podendo ser usado sem problemas em conexões com velocidade a partir de 100 Kbps.

 Estes e outros detalhes você pode conferir acessando o site oficial do AnyDesk:

Conheça mais sobre o AnyDesk  

 Abaixo você vai aprender a instalar a versão mais recente do AnyDesk (para Linux) no seu openSUSE e no Fedora, vamos lá?!
 Tutorial testado no openSUSE Tumbleweed, openSUSE Leap 42.3 e no Fedora 27 Workstation.
  O AnyDesk não é compatível com o servidor gráfico Wayland, sendo necessário fazer login na Sessão com Xorg para utilizá-lo, ok?
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Como recuperar ou restaurar o GRUB do Fedora

 O GRUB (GRand Unifield Bootloader) é o gerenciador de inicialização padrão da grande maioria das distribuições Linux, criado pelo Projeto GNU. Ele é o responsável por iniciar um dos vários sistemas operacionais instalados no(s) disco(s) rígido(s) em um computador ou selecionar uma configuração específica de Kernel disponível numa determinada partição.

 Uma coisa comum que muitas pessoas ainda fazem hoje em dia é o famoso "dual boot", principalmente por quem só utilizava o Windows e decidiu testar alguma distribuição Linux. Ao instalar, por exemplo, o Fedora, o GRUB irá substituir o gerenciador de inicialização do sistema presente no disco rígido e passar a ser o gerenciador de inicialização principal. Porém, se utiliza Windows juntamente com o Fedora e, por algum motivo, necessite formatar/reinstalar o mesmo, você não poderá mais acessar o Fedora (já que o Windows substitui o GRUB pelo seu próprio gerenciador de boot, porém, este não "reconhece" outros sistemas que não sejam da Microsoft).

 Além disso, você também poderá enfrentar problemas para iniciar o seu computador após, por exemplo, uma atualização mal sucedida do Kernel Linux ou uma configuração errada feita por um software, como o GRUB Customizer, resultando na tela abaixo ao reiniciar:

Tela de recuperação do GRUB (grub rescue)

 Nessa hora, a solução (na maioria dos casos) é recuperar e/ou restaurar o GRUB, e é isso que você vai aprender neste tutorial, tanto em computadores mais "recentes" equipados com UEFI quanto em computadores "antigos", equipados com BIOS. Vamos lá então?!

Os principais tópicos deste tutorial:

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Como instalar passo a passo o Fedora 27 Workstation no seu computador

 A versão final do Fedora 27 foi anunciada na semana passada (dia 14 de novembro de 2017), tendo como "base" o Linux Kernel 4.13 e o ambiente de área de trabalho GNOME 3.26.2 "Manchester", além de várias atualizações de software e componentes, como o Mozilla Firefox 57 (Quantum), a suíte de escritório LibreOffice 5.4, OpenJDK 9 e o GCC 7.2, dentre outras.

 Para conferir todos os detalhes sobre o Fedora 27 basta acessar os links abaixo:


   Confira também: Como atualizar do Fedora 26 para o Fedora 27

 Como é de praxe, preparamos mais um passo a passo completo de instalação do Fedora, voltado principalmente aos iniciantes no Linux e/ou às pessoas que decidiram migrar do Ubuntu, Debian ou outra distribuição para o Fedora. Tire um tempo livre para lê-lo com calma, pois contém vários detalhes que, se não executados da maneira correta, podem impedir que o seu sistema dê boot, ok?!
Utilizamos a ISO de 64 bits do Fedora 27 Workstation com o desktop GNOME neste tutorial, além do Oracle VM VirtualBox na versão 5.2.0 para esta instalação, onde já estava instalado o Windows 10 Pro (com o recurso EFI habilitado nas configurações) num disco rígido "virtual" de 50GB e 2 GB de memória RAM. Apesar disso, os procedimentos abaixo podem ser executados em computadores com ou sem UEFI e fazendo ou não dual boot.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Como atualizar do Fedora 26 para o Fedora 27 Workstation

 A poucos dias atrás foi lançado o Fedora 27, trazendo várias melhorias, correções de erros e novidades, dentre elas estão o ambiente de área de trabalho GNOME 3.26.2 e o Firefox 57 Quantum Beta. Com isso, muitos usuários que utilizam o Fedora 26 já planejam instalar a mais recente versão, antes mesmo do término do suporte.

 Além do método mais "comum", que é reinstalar o sistema do zero, o Fedora também conta com um processo de atualização simplificado, o que facilita (e muito) a vida dos usuários, e é isto que você vai aprender neste tutorial!

  Tutorial testado no Fedora 26 Workstation (64 bits), com ambiente de área de trabalho GNOME.






Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

 Na última terça feira, dia 14 de novembro de 2017, foi anunciado a mais nova versão do Fedora, tendo como base o Kernel 4.13 e trazendo várias novidades, dentre elas estão o suporte a UEFI de 32 bits e a implementação do Pipewire (que é um novo projeto para gerenciamento de áudio e vídeo no Linux), bem como as versões mais recentes dos aplicativos, como o Mozilla Firefox 57 "Quantum" e o LibreOffice 5.4. Para conferir o que há de novo no Fedora 27 acesse este link.

 E para ajudar os iniciantes, preparamos algumas dicas do que fazer após instalar o Fedora 27 Workstation, como habilitar o Delta RPM (o que pode diminuir em mais de 50% o volume de atualizações a serem baixadas), os codecs e players multimídia como o VLC e o Audacious, o OpenJDK e o Oracle JRE/JDK, navegadores populares como o Chromium, Google Chrome, Opera, Vivaldi, além do Adobe Flash Player e várias outras "melhorias".

  Tutorial testado no Fedora 27 Workstation (64 bits), com ambiente de área de trabalho GNOME 3.26.2.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Lançado o Fedora 27 Workstation, confira as novidades e faça o download!

 Com pouco mais de 4 meses de desenvolvimento, o Projeto Fedora anunciou hoje, dia 14 de novembro de 2017, a versão final do Fedora 27, trazendo várias melhorias e novos recursos. O Fedora é uma distribuição comunitária patrocinada pela Red Hat e que conta com um suporte de aproximadamente 13 meses.

 O Fedora 27, na sua edição "Workstation" (voltada para computadores pessoais), chega com a versão mais recente do GNOME Shell, a 3.26 "Manchester". Dentre as novidades do GNOME 3.26 está o novo design da Central de Controle, que substitui a antiga grade de ícones por uma barra lateral, a pesquisa do sistema agora mostra mais resultados ao mesmo tempo (incluindo as opções de desligar, encerrar a sessão e alternar usuários) e suporte ao compartilhamento de pastas no GNOME Boxes.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

 O Dolphin é um emulador de Nintendo GameCube e Nintendo Wii de código aberto (sob a licença GNU General Public License versão 2.0) e multiplataforma, disponível para as versões de 64 bits do Linux e Windows, além do macOS e dispositivos móveis com Android 5.0 (Lollipop) ou superior. Com ele é possível executar a grande maioria dos jogos lançados para os dois consoles em alta definição com várias melhorias e funcionalidades que não estão presentes nos mesmos, como a compatibilidade com todos os controles de PC (incluindo o próprio controle do GameCube via adaptador USB, bem como o Wiimote e Wii MotionPlus via Bluetooth), multiplayer em rede, velocidade turbo e muito mais.

 Para mais detalhes a respeito do Dolphin e todas as suas funcionalidades, acesse os links abaixo:

  LISTA COMPLETA DOS JOGOS COMPATÍVEIS COM O DOLPHIN

 Vamos então ao passo a passo de instalação do Dolphin Emulator no openSUSE e no Fedora Workstation, que é bem simples e rápido!
  Tutorial testado no openSUSE Tumbleweed, openSUSE Leap 42.3 e no Fedora 27 Workstation.
  O Dolphin não deve ser utilizado para emular os jogos que você não possui legalmente. Você pode comprar os jogos para o Wii / GameCube e extrair a ISO no seu computador, no seu próprio console, no console de um amigo ou de outra pessoa. Baixar ISOs de jogos comerciais é ilegal e os desenvolvedores do Dolphin não aprovam essa atitude.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Veja como instalar o Oracle JDK 9 no Ubuntu, Linux Mint e distribuições derivadas via PPA

 Veja, nesta dica rápida, como instalar a versão mais recente do Oracle Java 9 no Ubuntu, Linux Mint e sistemas derivados via repositório PPA.

 Java é uma linguagem de programação multiplataforma orientada a objetos, desenvolvida na década de 90 por James Gosling, na Sun Microsystems (adquirida pela Oracle em 2009).
 Diferente das linguagens de programação convencionais (que são compiladas para código nativo), a linguagem Java é compilada para um bytecode que é executado por uma máquina virtual. A linguagem de programação Java é a linguagem convencional da Plataforma Java, mas não é a sua única linguagem.

 Recentemente a Oracle disponibilizou a versão estável do Java 9, trazendo, dentre outras novidades a modularização da plataforma, tornando-a mais escalável e flexível. Um outro ponto curioso é o novo esquema de versionamento, sendo que uma nova versão do Java será lançada a cada 6 meses e o número das próximas versões terá como "base" o ano e o mês de lançamento (semelhante ao do Ubuntu). Com isso, o sucessor do Java 9 será o Java 18.3, com o lançamento previsto para março de 2018, na sequência, em setembro de 2018, será lançado o Java 18.9 e assim por diante. Para conhecer todos os detalhes do Oracle Java 9, acesse os links abaixo:


Confira também:

  Aprenda a instalar manualmente o Oracle Java (JRE) no Ubuntu

 Neste tutorial você vai aprender a instalar facilmente o ambiente de desenvolvimento do Java 9 (JDK 9) no seu Ubuntu, Linux Mint e outras distribuições derivadas via repositório PPA.

  Tutorial testado nas versões de 64 bits do Ubuntu 16.04.3 LTS (Xenial Xerus), Ubuntu 17.10 (Artful Aardvark) e no Linux Mint 18.2 "Sonya".

Removendo o OpenJDK do sistema (opcional)

 É provável que você já tenha o ambiente de execução do OpenJDK, o Java de código aberto, instalado no seu sistema, que funciona perfeitamente para a maioria das pessoas. Mesmo que queira utilizar o Oracle Java 9, é possível manter o OpenJDK instalado no seu sistema, porém, caso queira removê-lo, abra um terminal e execute o comando abaixo:

sudo apt-get remove openjdk-*-jre

 Se você possui o ambiente de desenvolvimento do OpenJDK instalado, remova-o com:

sudo apt-get remove openjdk-*-jdk

 Tudo pronto, vamos para o próximo passo.






Instalando o Oracle Java 9 no Ubuntu e Linux Mint via PPA

 Antes de começar, recomendo que instale todas as atualizações disponíveis para o seu sistema, basta executar no terminal:

sudo apt-get update && sudo apt-get upgrade

 Feito isso, adicione o repositório PPA do projeto Web Upd8 com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/java

 Atualize a lista de repositórios:

sudo apt-get update

 E instale o ambiente de desenvolvimento do Oracle Java 9 (que inclui também o ambiente de execução, o JRE 9) com:

sudo apt-get install oracle-java9-set-default

 Será exibido uma mensagem informando que é necessário aceitar o Acordo de Licença para poder utilizar o Oracle JDK, apenas tecle Enter para continuar:

Acordo de Licença do Oracle Java 9

 Na tela seguinte, selecione a opção "Sim" para aceitar o Acordo de Licença (utilizando as teclas direcionais) e tecle Enter para confirmar, como mostrado pela imagem abaixo:

Aceite o Acordo de Licença do Oracle Java 9 selecionando a opção "Sim" e pressionando "Enter" em seguida

 Após, será feito o download do Oracle Java 9 (pouco mais de 300MB) e, em seguida, a instalação do mesmo:

Aguarde enquanto é feito o download e instalação do Oracle Java 9 (JDK 9)

 Concluído o processo, verifique se o Java 9 foi instalado corretamente executando:

java -version

 Caso ele tenha sido instalado com sucesso, a saída do comando será semelhante a esta abaixo:

sandro@ubuntu-desktop:~$ java -version
java version "9.0.1"
Java(TM) SE Runtime Environment (build 9.0.1+11)
Java HotSpot(TM) 64-Bit Server VM (build 9.0.1+11, mixed mode)

 Fácil, não é?!


Como remover o Oracle Java 9 do sistema?

 Não quer mais utilizar o Oracle Java 9 e deseja desinstalá-lo? Então abra um terminal e execute o comando abaixo:

sudo apt-get remove oracle-java9-installer oracle-java9-set-default

 Caso também queira remover do seu sistema a PPA do Web Upd8, basta executar:

sudo rm /etc/apt/sources.list.d/webupd8team-ubuntu-java-*.list

 E só!


 Caso tenha alguma dúvida, sugestão ou crítica a respeito deste tutorial, basta deixar o seu comentário logo abaixo, ou se preferir, entre em contato conosco!

 Obrigado pela visita e até o próximo tutorial!


Referências:

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Instalando o Oracle VM VirtualBox no openSUSE Leap

 O Oracle VM VirtualBox é um poderoso software de virtualização multiplataforma para empresas e usuários domésticos. Com ele é possível virtualizar os mais variados sistemas operacionais, como o Windows e sistemas Unix-like, como o FreeBSD e TrueOS; a lista completa dos sistemas operacionais suportados você pode conferir neste link.

 O VirtualBox não é apenas um produto rico em funcionalidades de alto desempenho, mas é a única solução profissional de código aberto disponível gratuitamente, sobre os termos da licença GNU General Public License versão 2 (GPLv2).

 Para saber mais sobre o Oracle VM VirtualBox e todos as suas funcionalidades basta acessar o site oficial:

  ACESSE O SITE OFICIAL DO VIRTUALBOX

 Vamos então ao passo a passo de instalação do VirtualBox no openSUSE Leap!

  Tutorial testado no openSUSE Leap 42.3 e 42.2, com ambiente de área de trabalho GNOME.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Guia de instalação do Ubuntu 17.10 Artful Aardvark

Neste tutorial você vai aprender a instalar facilmente o Ubuntu 17.10 (Artful Aardvark) no seu computador, seja em dual boot ou em instalação única.

 A Canonical disponibilizou no último dia 20 de outubro de 2017 o Ubuntu 17.10 (codinome "Artful Aardvark"), versão esta que tem como base o Linux Kernel 4.13 e traz o GNOME Shell 3.26 como ambiente de área de trabalho principal (substituindo o Unity desktop), além de utilizar o Wayland como servidor gráfico padrão. Para conferir mais detalhes sobre o Ubuntu Artful Aardvark, acesse os links abaixo:


 Sem mais delongas, vamos ao tutorial de instalação do Ubuntu 17.10!

Utilizamos a ISO de 64 bits do Ubuntu 17.10 (Artful Aardvark) com o desktop GNOME neste tutorial, além do Oracle VM VirtualBox na versão 5.2.0 para esta instalação, onde já estava instalado o Windows 10 Pro (com o recurso EFI habilitado nas configurações) num disco rígido "virtual" de 50GB e 2 GB de memória RAM. Apesar disso, os procedimentos abaixo podem ser executados em computadores com ou sem UEFI e fazendo ou não dual boot.

Os principais tópicos deste tutorial:


Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Dicas do que fazer após instalar o Ubuntu 17.10 "Artful Aardvark"

Confira, neste tutorial, algumas dicas do que fazer após instalar o Ubuntu 17.10 (Artful Aardvark).

 Foi lançado ontem, dia 19 de outubro 2017, a versão final do Ubuntu 17.10 (Artful Aardvark), que trouxe várias novidades e mudanças importantes em relação às versões anteriores, uma delas é a adoção do GNOME como o ambiente de área de trabalho padrão, substituindo o antigo Xorg, conforme informamos no nosso último post. E como de costume, preparamos um tutorial com algumas dicas do que fazer após instalar o Ubuntu 17.10, dentre elas está a instalação de codecs multimídia e de como deixar o Ubuntu totalmente em português. Você também vai aprender a instalar softwares como o VLC Media Player, o Dropbox, VirtualBox, VMware Player, o OpenJDK e muito mais! Vamos lá então?!

Tutorial testado no Ubuntu 17.10 'Artful Aardvark' (64 bits), com ambiente de área de trabalho GNOME 3.26.

Os principais tópicos deste tutorial:

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Parceria entre a SUSE e a Lenovo

 A Lenovo, multinacional chinesa de tecnologia, alterou seus ambientes SAP que funcionavam com sistema UNIX e passou a adotar a tecnologia da SUSE, empresa pioneira em soluções enterprise de código aberto. Esta alteração rendeu à companhia a redução de custos globais e dos workloads em 50%, diminuição de meses de trabalho por ano, com a melhoria da performance utilizando SUSE Linux Enterprise Server 4 SAP Applications, único Linux otimizado para ambientes SAP, além do aumento do suporte global através da utilização de uma plataforma empresarial purpose-built.

 Além da adoção bem-sucedida do SUSE for SAP pela Lenovo, as companhias mantêm uma aliança muito forte para ofertas em conjunto, parceria que vem crescendo em ritmo acelerado. Os negócios realizados por SUSE e Lenovo cresceram 25% no primeiro trimestre de 2017 em relação ao ano passado. Ao investir nas ofertas em conjunto com a SUSE, a Lenovo agregou mais valor às suas soluções para ambientes de missão crítica de seus clientes, por exemplo com o SUSE Enterprise Storage (Software-defined Storage), SUSE High Availability (Alta disponibilidade) e SUSE Live Patching (correção para o Kernel Linux sem reboot), pois no mundo dos negócios nenhuma empresa quer pagar pelo tempo em que seus sistemas ficam inativos ou tenha perda de dados.


"Acreditamos que essa parceria trará muitos benefícios, pois o futuro das empresas certamente passará por uma adoção maior das inovações em infraestrutura de TI baseadas em ambientes SAP e, é neste cenário que pretendemos solidificar a nossa parceria com a Lenovo", afirma Sergio Toshio, VP e General Manager da SUSE na América Latina.


 A partir dessa parceria, a Lenovo pretende tornar-se um parceiro ainda mais confiável para os seus clientes em Datacenter e conta com a SUSE em um papel importante e estratégico para a melhoria com soluções inovadoras, neste momento de transformação digital.

 Marco Giordano, líder de Serviços da Lenovo Global no Brasil, está confiante nos resultados dessa união: "Essa parceria propicia uma excelente alternativa para nossos clientes para superar seus desafios de transformação digital. Servidores e Serviços Lenovo combinados com com as soluções de infraestrutura Open Source da SUSE, oferecem soluções confiáveis, de alto desempenho e interoperabilidade para a ambientes enterprise".

Sobre a empresa

 A SUSE, pioneira em software open source, fornece soluções confiáveis e interoperáveis de Linux, infraestrutura de nuvem e armazenamento que dão às empresas maior controle e flexibilidade. Com mais de 20 anos de excelência em engenharia, um serviço excepcional e um ecossistema de parceiros sem igual, a SUSE fornece produtos e suporte que ajudam os clientes a gerenciar a complexidade, reduzir custos e fornecer serviços essenciais com confiança. Os relacionamentos duradouros que a companhia construiu permitem adaptar e entregar a inovação mais inteligente que os clientes precisam para ter sucesso hoje e amanhã. Para obter mais informações, visite www.suse.com.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Lançado o Ubuntu 17.10 Artful Aardvark, confira as novidades!

Já está disponível o Ubuntu 17.10 "Artful Aardvark", confira algumas das novidades presentes nesta mais nova versão e faça já o download!

 Foi disponibilizado hoje, dia 19 de outubro de 2017 (após quase seis meses em desenvolvimento), a versão final do Ubuntu 17.10 (codinome "Artful Aardvark") que conta com aproximadamente 9 meses de suporte (até julho de 2018).

 Essa nova versão do Ubuntu tem como base o Linux Kernel 4.13 e traz várias mudanças significativas em relação às versões anteriores. A maior delas, é, sem dúvidas, a adoção do GNOME Shell (mais precisamente a versão 3.26) como o ambiente de área de trabalho padrão ao invés do Unity (que era o desktop padrão desde o Ubuntu 10.10, lançado a pouco mais de 7 anos atrás). É claro que essa mudança não agradou a todos, porém, a Canonical fez várias modificações no GNOME para se aproximar ao máximo à experiência proporcionada pelo Unity. Você pode conferir as principais novidades do GNOME 3.26 acessando este link.

 O Ubuntu 17.10 também utiliza o servidor gráfico Wayland por padrão (assim como nas versões mais recentes do Fedora Workstation). Apesar disso, ainda é possível utilizar o antigo servidor gráfico caso tenha problemas ao executar alguns aplicativos (por exemplo), basta apenas selecionar a opção "Ubuntu on Xorg" na tela de login (que agora é o GDM, substituindo o antigo gerenciador de login do Ubuntu, o LightDM).

Wallpaper padrão do Ubuntu 17.10 "Artful Aardvark"
Wallpaper padrão do Ubuntu 17.10 (Artful Aardvark)
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Como instalar manualmente o Firefox no openSUSE e no Fedora

Você vai aprender, nesta dica, a instalar manualmente as principais versões do Firefox no openSUSE e no Fedora Workstation.

 O Mozilla Firefox (ou simplesmente Firefox) é um navegador de código aberto desenvolvido pela Mozilla Foundation, disponível para Linux, Windows, macOS e dispositivos móveis (Android e iOS); ele utiliza o motor de renderização Gecko (exceto a versão para iOS) e tem foco na velocidade de navegação, e, principalmente, na segurança e privacidade na internet. É também um dos navegadores mais utilizados atualmente, ficando atrás apenas do Google Chrome entre os usuários de desktops, segundo dados do site StatCounter.

 Uma das vantagens do Firefox é de ser, sem dúvida, um navegador altamente personalizável. Além das milhares de extensões disponíveis que adicionam novas funcionalidades ao navegador, é possível mudar o visual do mesmo com temas e também reorganizar, da maneira que achar melhor, praticamente todos os elementos da janela, como, por exemplo, as barras de endereço/pesquisa e os botões de navegação (avançar, voltar, etc.).

Navegador Mozilla Firefox no Linux

 O Firefox possui uma série de recursos projetados para melhorar a segurança, como um bloqueador de pop-ups integrado e a proteção contra phishing e malware, que bloqueia o carregamento de páginas relatadas como falsas e o download de arquivos e/ou softwares maliciosos.
 E para quem utiliza o navegador da Mozilla em vários dispositivos, há também o Firefox Sync, que é uma maneira fácil e segura de sincronizar todo o seu histórico de navegação, os seus favoritos, senhas salvas, extensões e as abas abertas entre todos. Confira essas e outras funcionalidades do Firefox acessando o site oficial:

  www.mozilla.org/pt-BR/firefox


 No tutorial a seguir mostro como instalar manualmente o Firefox estável, que está presente nos repositórios oficiais da maioria das distribuições Linux, e também as outras 3 versões principais, que são:

  • Firefox Beta - Como o próprio nome diz, esta é a versão de pré-lançamento do Firefox, que traz uma prévia dos novos recursos e funcionalidades que serão adicionadas em breve na versão estável;
  • Firefox Developer - Possui todos os novos recursos presentes na versão Beta e também várias ferramentas voltadas para os desenvolvedores web, como a de criação e design em CSS Grid;
  • Firefox Nightly - Esta é a versão de testes do Firefox, onde são adicionados novos recursos e funcionalidades que serão implementados nas versões Beta, Developer e estável. Ideal para quem deseja acompanhar e ajudar no desenvolvimento do mesmo.

 O processo de instalação é praticamente o mesmo para todas as versões, apenas alguns detalhes como a criação da pasta, dos links simbólicos e dos atalhos que são diferentes. Vamos lá então?!

  Tutorial testado nas versões de 64 bits do Fedora 26 Workstation, openSUSE Leap 42.3 e openSUSE Tumbleweed.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Lançado o KDE Plasma 5.11, confira as novidades!

 Após pouco mais de 4 meses em desenvolvimento, a equipe do Projeto KDE anunciou hoje, dia 10 de outubro de 2017, a mais recente versão estável do ambiente de área de trabalho KDE, o Plasma 5.11, que está recheada de novos recursos e funcionalidades.

 Entre os destaques está o novo design do aplicativo de Configurações do Sistema (System Settings) que teve a interface totalmente remodelada, tornando-o mais amigável e permitindo o acesso mais fácil às opções de ajustes. Apesar disso, ainda é possível retornar ao modo de exibição "antigo".
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
SUSE anuncia novidades durante conferência global

 A SUSE, empresa pioneira em software Open Source, está realizando ao longo desta semana a conferência mundial SUSECON na qual reúne parceiros e clientes do mundo todo. A edição que este ano acontece em Praga, na República Tcheca, vem apresentando os últimos desenvolvimentos em infraestrutura definida por software para empresas com as principais soluções baseadas em Linux, OpenStack e Ceph, além de realizar inúmeras palestras sobre tendências em tecnologia.

 Dentre os destaques apresentados pela companhia até o momento está a colaboração entre a SUSE e a SAP que visa capacitar desenvolvedores e empresas na SAP Cloud Platform. Utilizando o SUSE OpenStack Cloud e o SUSE Enterprise Storage, que passam a ser elementos-chave da Plataforma, a parceria fornece serviços de infraestrutura para empresas executarem aplicativos que permitem coletar, gerenciar, analisar e alavancar informações de todos os tipos, além de estender e conectar-se a sistemas empresariais.

 Outro ponto de sinergia entre as duas empresas foi a certificação que SAP concedeu à tecnologia SUSE para gerenciar clusters de alta disponibilidade em execução na plataforma SAP NetWeaver. Isso possibilitará atualizações do kernel direto no SAP NetWeaver. Embora o suporte para a alta disponibilidade do SAP NetWeaver já tenha sido disponibilizado anteriormente, agora, a SUSE também passa a aceitar o SAP NetWeaver 7.40 e superior, incluído no SUSE Linux Enterprise Server para aplicativos SAP.


"Os clientes esperam níveis extremamente elevados de confiabilidade, escalabilidade e desempenho, e a SUSE, trabalhando em colaboração com a SAP, buscou atingir exatamente esse nível de excelência", destacou Thomas Di Giacomo, diretor de tecnologia da SUSE.


 Além desse destaque, outro ponto abordado durante o SUSECON foi o poder das soluções de armazenamento que sempre residiu em software e o armazenamento definido pelo software SUSE, o qual oferece aos clientes flexibilidade e a escolha que os aparelhos de armazenamento tradicionais não fornecem. Tal expertise da SUSE permitiu que os clientes tivessem suas necessidades de armazenamento atendidas de forma mais segura e econômica, utilizando soluções padrão de hardware e de armazenamento baseadas em software open source.

 Outra novidade anunciada na Conferência é o SUSE Enterprise Storage 5, que chega ao mercado com maior facilidade de gerenciamento, desempenho e recursos expandidos, incluindo o backup de disco para clientes corporativos.


“À medida que as empresas procuram tornar-se mais ágeis ao entregarem aplicativos rápidos aos clientes, fornecedores e usuários internos, eles estão adotando novas arquiteturas, processos e tecnologias projetadas para acelerar a TI. A SUSE está ajudando seus clientes a acelerar a entrega desses aplicativos com um portfólio crescente de soluções”, ressaltou Sergio Toshio, VP e General Manager da SUSE na América Latina.


 Para dar ainda mais peso aos anúncios desta semana, a SUSE também apresentou uma nova versão para a sua solução focada em contêiners, o SUSE CaaS Platform 2, uma plataforma de gerenciamento de contêiner com base na tecnologia Kubernetes e que pode ser operada por meio do SUSE Cloud Application Platform.






 E para encerrar a primeira rodada de anúncios, a SUSE e a Huawei reforçaram a continuidade de sua parceria, agora, porém, ambas as empresas colaborarão para a criação de um Servidor de Missão Crítica, estabelecendo assim um novo padrão de confiabilidade no mercado. Ele suportará o hot swap do módulo de memória, ajudando clientes a reduzirem o tempo de manutenção não planejado, mantendo seus sistemas de produção em funcionamento.

 O SUSECON acontece até o dia 29 de setembro e muitas outras novidades e discussões ainda estão por vir.


Sobre a empresa

 A SUSE, pioneira em software open source, fornece soluções confiáveis e interoperáveis de Linux, infraestrutura de nuvem e armazenamento que dão às empresas maior controle e flexibilidade. Com mais de 20 anos de excelência em engenharia, um serviço excepcional e um ecossistema de parceiros sem igual, a SUSE fornece produtos e suporte que ajudam os clientes a gerenciar a complexidade, reduzir custos e fornecer serviços essenciais com confiança. Os relacionamentos duradouros que a companhia construiu permitem adaptar e entregar a inovação mais inteligente que os clientes precisam para ter sucesso hoje e amanhã. Para obter mais informações, visite www.suse.com.


 Cadastre-se para receber todas as novidades do Blog Opção Linux no seu e-mail, ou siga-nos no Google+, no Twitter, Facebook ou no nosso canal no Telegram! :)

 Obrigado pela visita e até +!
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Atualizando do Fedora 25 para o Fedora 26 Workstation

Com a proximidade do fim de suporte do Fedora 25 muitos usuários já planejam formatar o computador e instalar a versão mais recente, que, até o momento, é o Fedora 26, lançado no dia 11 de julho de 2017.

 Apesar de considerar a instalação limpa como a melhor opção (na minha humilde opinião), o Fedora também conta com um processo simplificado de upgrade, o que facilita (e muito) a vida dos usuários, e é isso que você vai aprender neste tutorial, seja através do terminal ou graficamente!

  Tutorial testado no Fedora 25 Workstation (64 bits), com ambiente de área de trabalho GNOME.

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

Você vai aprender, nesta dica, a instalar manualmente a versão mais recente do Telegram Desktop no Debian e em distribuições derivadas.

 O Telegram é um dos serviços de mensagens instantâneas mais populares da atualidade (um concorrente direto ao WhatsApp). Com foco na velocidade e segurança, o Telegram é super rápido, simples de usar, gratuito e o melhor de tudo, tanto os aplicativos para celulares e computadores, bem como sua API são de código aberto! \o/


 É possível utilizar o Telegram em todos os seus dispositivos ao mesmo tempo — suas mensagens serão sincronizadas em todos os seus celulares, tablets ou computadores. Além de mensagens, também é possível enviar fotos, vídeos e qualquer tipo de arquivo (.doc, .zip, .m4a, etc.) de até 1,5GB cada, assim como a possibilidade de criar grupos de até 5000 pessoas ou canais para transmitir informações para audiências ilimitadas.
 Você pode conversar com seus contatos telefônicos ou procurando-os pelo nome de usuário. Como resultado, o Telegram é como SMS e email combinados — e pode tomar conta de todas as suas necessidades de mensagens pessoais ou de negócios.

 Para conhecer mais detalhes sobre o Telegram, basta acessar o site oficial no link abaixo:

  https://telegram.org/

  Tutorial testado no Debian 9 "Stretch" e no LMDE 2 (Linux Mint Debian Edition 2), ambos de 64 bits.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Intel Graphics Update Tool no Fedora 26 Workstation

 Aprenda, nesta dica, a instalar os drivers gráficos mais recentes para placas Intel no Fedora 26 Workstation com o Intel Graphics Update Tool.

 O Intel Graphics Update Tool for Linux é um utilitário gráfico para você que deseja instalar facilmente a versão mais recente dos drivers gráficos para sua placa de vídeo Intel (onboard) no Fedora e no Ubuntu. Esse aplicativo adiciona o repositório oficial da Intel no sistema, com isso você sempre terá as últimas versões dos drivers gráficos instalados.

 Segundo informado no site da Intel, os drivers gráficos disponibilizados pelo projeto Intel Linux Graphics são suportados SOMENTE pelos seguintes chipsets:

Ivybridge       Intel® HD Graphics 2500/4000 (used in 3rd Generation Intel® Core™ i7/i5/i3 processor family)
Sandybridge     Intel® HD Graphics 2000/3000 (used in 2nd Generation Intel® Core™ i7/i5/i3 processor family)
Ironlake        Intel® HD Graphics (used in Intel® 2010 Core™ i7/i5/i3 processor family)
GMA3150         Intel® Graphics Media Accelerator 3150 (used in Intel® Atom™ processor N450/D410/D450 family)
G45             Intel® G45 Express Chipset
Q45             Intel® Q45 Express Chipset
G43             Intel® G43 Express Chipset
Q43             Intel® Q43 Express Chipset
B43             Intel® B43 Express Chipset
G41             Intel® G41 Express Chipset
GM45            Mobile Intel® GM45/GS45/GL40 Express Chipset
G35             Intel® G35 Express Chipset
Q35             Intel® Q35 Express Chipset
Q33             Intel® Q33 Express Chipset
G33             Intel® G33/G31 Express Chipset
965GM           Mobile Intel® GM965 Express Chipset
965G            G965 Integrated Graphics Controller
965Q            Q963/Q965 Integrated Graphics Controller
946GZ           946GZ/GL Integrated Graphics Controller
945G            945G Integrated Graphics Controller
945GM           Mobile 945GM/GMS/940GML Express Integrated Graphics Controller
915G            82915G/GV/910GL Express Chipset Family Graphics Controller
915GM           Mobile 915GM/GMS/910GML Express Graphics Controller
865G            82865G Integrated Graphics Controller
855GM           82852/855GM Integrated Graphics Device
845G            82845G/GL[Brookdale-G]/GE Chipset Integrated Graphics Device
i830M           82830 Chipset Graphics Controller
815             82815 Chipset Graphics Controller
810             82810 Chipset Graphics Controller
810-DC100       82810-M DC-100 System and Graphics Controller

 Para conhecer mais detalhes sobre o projeto Intel Graphics for Linux, basta acessar o site oficial:

  https://01.org/linuxgraphics/about

 Vamos então à instalação!

  Tutorial testado no Fedora 26 Workstation (GNOME), utilizando a versão 2.0.6 do Intel Graphics Update Tool for Linux, disponibilizada no dia 25 de agosto de 2017.
  ATENÇÃO   
Este tutorial é destinado principalmente às pessoas que desejam obter uma melhora no desempenho dos jogos ou que enfrentam algum problema com os drivers disponibilizados nos repositórios oficiais do Fedora. Se este não é o seu caso, pense duas vezes antes de seguir os passos abaixo, ok?
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Tchelinux 2017 - Próximos eventos

 O grupo de usuários Tchelinux orgulhosamente informa a programação dos dois próximos eventos, e o planejamento de mais 1 evento a caminho!

 Para quem ainda não conhece, o Tchelinux é um grupo comunitário que reúne entusiastas, usuários e desenvolvedores de Software Livre no Rio Grande do Sul. O evento, organizado por membros deste grupo e voluntários, tem como objetivo integrar a comunidade de Software Livre com palestras, oficinas e outros eventos, a fim de fortalecer a cultura de Software Livre no estado do Rio Grande do Sul. Todos os eventos do Tchelinux são sempre gratuitos, porém os participantes são encorajados a doar 2kg de alimentos não-perecíveis, que são encaminhados a instituições de caridade da cidade onde ocorre o evento.

 No dia 23 de Setembro, a cidade de Bento Gonçalves estará recebendo o Tchelinux na UCS Campus Bento Gonçalves. A programação já está liberada, e mais informações estão acessíveis no site do evento: https://bento.tchelinux.org/.
 Na semana seguinte, dia 30 de Setembro, é a vez da cidade de Erechim receber o Tchelinux na Faculdade Anglicana de Erechim. A programação já está liberada, e mais informações estão disponíveis no site do evento, acesse erechim.tchelinux.org/.
 Já no dia 21 de Outubro, a cidade de Caxias receberá o Tchelinux na UNIFTEC Caxias do Sul. A chamada de trabalhos está aberta, e mais informações estão acessíveis no site do evento: caxias.tchelinux.org/.

 Participe contribuindo com a sua comunidade e com o software livre!


 Aproveite e cadastre-se para receber todas as novidades do Blog Opção Linux no seu e-mail, ou siga-nos no Google+, no Twitter, Facebook ou no nosso canal no Telegram! :)

 Obrigado pela visita e até +!

Referência:

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Intel Graphics Update Tool no Ubuntu 17.04 "Zesty Zapus"

 Veja como instalar os drivers gráficos mais recentes para placas Intel no Ubuntu 17.04 (Zesty Zapus) com o Intel Graphics Update Tool for Linux.

 O Intel Graphics Update Tool for Linux é um utilitário gráfico para você que deseja instalar facilmente a versão mais recente dos drivers gráficos para sua placa de vídeo Intel no Fedora e no Ubuntu. Esse aplicativo adiciona o repositório oficial da Intel no sistema, com isso você sempre terá as últimas versões dos drivers Intel instalados.

 Segundo informado no site da Intel, os drivers gráficos disponibilizados pelo projeto Intel Linux Graphics são suportados SOMENTE pelos seguintes chipsets Intel:

Ivybridge       Intel® HD Graphics 2500/4000 (used in 3rd Generation Intel® Core™ i7/i5/i3 processor family)
Sandybridge     Intel® HD Graphics 2000/3000 (used in 2nd Generation Intel® Core™ i7/i5/i3 processor family)
Ironlake        Intel® HD Graphics (used in Intel® 2010 Core™ i7/i5/i3 processor family)
GMA3150         Intel® Graphics Media Accelerator 3150 (used in Intel® Atom™ processor N450/D410/D450 family)
G45             Intel® G45 Express Chipset
Q45             Intel® Q45 Express Chipset
G43             Intel® G43 Express Chipset
Q43             Intel® Q43 Express Chipset
B43             Intel® B43 Express Chipset
G41             Intel® G41 Express Chipset
GM45            Mobile Intel® GM45/GS45/GL40 Express Chipset
G35             Intel® G35 Express Chipset
Q35             Intel® Q35 Express Chipset
Q33             Intel® Q33 Express Chipset
G33             Intel® G33/G31 Express Chipset
965GM           Mobile Intel® GM965 Express Chipset
965G            G965 Integrated Graphics Controller
965Q            Q963/Q965 Integrated Graphics Controller
946GZ           946GZ/GL Integrated Graphics Controller
945G            945G Integrated Graphics Controller
945GM           Mobile 945GM/GMS/940GML Express Integrated Graphics Controller
915G            82915G/GV/910GL Express Chipset Family Graphics Controller
915GM           Mobile 915GM/GMS/910GML Express Graphics Controller
865G            82865G Integrated Graphics Controller
855GM           82852/855GM Integrated Graphics Device
845G            82845G/GL[Brookdale-G]/GE Chipset Integrated Graphics Device
i830M           82830 Chipset Graphics Controller
815             82815 Chipset Graphics Controller
810             82810 Chipset Graphics Controller
810-DC100       82810-M DC-100 System and Graphics Controller

 Conheça mais detalhes sobre o projeto Intel Graphics for Linux acessando o site oficial:

  https://01.org/linuxgraphics/about

 Vamos à instalação!

  Tutorial testado no Ubuntu 17.04 "Zesty Zapus" com o ambiente de área de trabalho Unity, utilizando a versão 2.0.6 do Intel Graphics Update Tool for Linux, disponibilizada no dia 25 de agosto de 2017.
  ATENÇÃO   
Este tutorial é destinado principalmente às pessoas que desejam obter uma melhora no desempenho dos jogos ou que enfrentam algum problema com os drivers disponibilizados nos repositórios do Ubuntu. Se este não é o seu caso, pense duas vezes antes de seguir os passos abaixo, ok?
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Lançado o GNOME 3.26, confira algumas das novidades!

 Trazendo novos recursos e melhorias, a equipe de lançamento do GNOME anunciou hoje, dia 13 de setembro de 2017, a versão final do GNOME 3.26 "Manchester", incorporando mais de 28 mil alterações feitas por cerca de 753 contribuidores.

 O codinome "Manchester" foi em reconhecimento à equipe organizadora do GUADEC deste ano, realizado em Manchester, na Inglaterra. GUADEC é a principal conferência anual do GNOME, que só é possível devido ao incrível trabalho de voluntários locais.


"Estamos felizes e orgulhosos de anunciar o GNOME 3.26, a mais recente versão do GNOME, 'Manchester', apenas algumas semanas depois de celebrarmos o aniversário de 20 anos do GNOME no GUADEC", disse Matthias Clasen, membro da equipe de desenvolvedores do GNOME.

"Como sempre, a comunidade GNOME fez um ótimo trabalho no fornecimento de recursos interessantes, completando as traduções e refinando a experiência do usuário. Obrigado!"

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Instalando o VMware Workstation no Fedora 26

 Você vai aprender, nesta dica, a instalar a versão mais recente do VMware Workstation Player no Fedora 26 Workstation.

 O VMware Workstation Player (antes chamado de VMware Player Pro) é um software de virtualização gratuito para computadores de 64 bits, disponível para Linux e Windows. Com uma interface de usuário simplificada, o VMware Workstation permite a criação e execução de sistemas operacionais e aplicativos em uma máquina virtual (guest), ao mesmo tempo que utiliza o sistema operacional que está instalado no seu computador (host).

 Ao contrário do Oracle VM VirtualBox, o VMware Workstation Player é proprietário, possui menos recursos que a sua versão paga, o VMware Workstation Pro (como a possibilidade de criar snapshots e clones das máquinas virtuais) e apenas é permitido o uso pessoal e não comercial.

 Acesse o link abaixo e confira todos os detalhes sobre o VMware Workstation Player:

  http://www.vmware.com/br/products/workstation-for-linux.html


 Oracle VM VirtualBox ou VMware Workstation Player? Qual é a melhor solução de virtualização para as minhas necessidades? Descubra os prós e contras de cada versão acessando o link abaixo:

  http://technologyadvice.com/blog/information-technology/vmware-vs-virtualbox/

 Confira também um teste de desempenho entre o Oracle VM VirtualBox e o VMware Workstation Player, acesse:

  http://xmodulo.com/vmware-player-vs-virtualbox-performance-comparison.html

   Tutorial testado no Fedora 26 Workstation, com a versão 12.5.7 do VMware Workstation Player.

Tópicos:

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Instalando a versão mais recente do Android Studio no Debian e no Ubuntu

 O Android Studio é o IDE (Integrated Development Environment ou 'Ambiente de Desenvolvimento Integrado') oficial da Google para desenvolver aplicativos para o Android. Ele é baseado no IntelliJ IDEA (IDE para desenvolvimento em Java da JetBrains) e está disponível gratuitamente, tanto para Linux como Windows e macOS.
 Além do editor de código e das ferramentas de desenvolvedor avançadas do IntelliJ, o Android Studio oferece ainda mais recursos para aumentar sua produtividade na criação de aplicativos Android, como:

  • Um sistema de compilação flexível baseado no Gradle;
  • Um emulador rápido com inúmeros recursos;
  • Um ambiente unificado para você poder desenvolver para todos os dispositivos Android;
  • Instant Run para aplicar alterações a aplicativos em execução sem precisar compilar um novo APK;
  • Modelos de códigos e integração com GitHub para ajudar a criar recursos comuns dos aplicativos e importar exemplos de código;
  • Ferramentas e estruturas de teste cheias de possibilidades;
  • Ferramentas de verificação de código suspeito para detectar problemas de desempenho, usabilidade, compatibilidade com versões e outros;
  • Compatibilidade com C++ e NDK;
  • Compatibilidade embutida com o Google Cloud Platform, facilitando a integração do Google Cloud Messaging e do App Engine.

 Conheça mais detalhes a respeito do Android Studio acessando o site oficial:

  https://developer.android.com/studio/features.html?hl=pt-br

 Neste tutorial, você vai aprender a instalar a versão mais recente do Android Studio no Debian, no Ubuntu e em distribuições derivadas (como o Linux Mint), de um jeito simples e prático.

  Tutorial testado no Debian 9 "Stretch" e no Ubuntu 16.04.3 LTS "Xenial Xerus", ambos de 64 bits.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Webinar SUSE OpenStack Cloud

 A SUSE, pioneira em software open source, com soluções de Linux, infraestrutura de nuvem e armazenamento, aproveitará para falar a respeito do SUSE OpenStack Cloud no dia 5 de setembro através de um webinar promovido pela própria companhia. A proposta é debater com as empresas que precisam de flexibilidade e responder de maneira eficiente às novas exigências do mercado.

 O SUSE OpenStack Cloud oferece tecnologia pronta para a criação de nuvens privadas de IaaS (Infraestrutura como Serviço), permitindo o acesso a pools de recursos de TI automatizados para desenvolver e executar aplicativos e workloads com eficiência no seu data center. O responsável que falará sobre o tema será o engenheiro de sistemas da SUSE, Aslan Carlos, que explicará o funcionamento do serviço e seus benefícios.

 Durante o webinar, além do tema central, SUSE OpenStack Cloud, será abordado também o SUSE Enterprise Storage, já que ambas plataformas são totalmente integradas e com a tecnologia Ceph, oferecem recursos de armazenamento definido por softwares escaláveis e resilientes.

 A participação no webinar é gratuita e possui vagas limitadas, para se inscrever basta acessar https://goo.gl/snwvxy.

SERVIÇO

     Webinar: SUSE OpenStack Cloud

     Palestrante: Aslan Carlos - Engenheiro de sistemas da SUSE

     Data: 5 de setembro de 2017

     Horário: 10h

     Inscrições: https://goo.gl/snwvxy


Sobre a empresa

 A SUSE, pioneira em software open source, fornece soluções confiáveis e interoperáveis de Linux, infraestrutura de nuvem e armazenamento que dão às empresas maior controle e flexibilidade. Com mais de 20 anos de excelência em engenharia, um serviço excepcional e um ecossistema de parceiros sem igual, a SUSE fornece produtos e suporte que ajudam os clientes a gerenciar a complexidade, reduzir custos e fornecer serviços essenciais com confiança. Os relacionamentos duradouros que a companhia construiu permitem adaptar e entregar a inovação mais inteligente que os clientes precisam para ter sucesso hoje e amanhã. Para obter mais informações, visite www.suse.com.


 Cadastre-se para receber todas as novidades do Blog Opção Linux no seu e-mail, ou siga-nos no Google+, no Twitter, Facebook ou no nosso canal no Telegram! :)

 Obrigado pela visita e até +!