Abril 2017
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
openSUSE Leap 15, a próxima versão do openSUSE Leap (depois da 42.3)

 Segundo uma nota publicada por Richard Brown, presidente do projeto openSUSE, após o lançamento do Leap 42.3 (que ocorrerá ainda neste ano de 2017), a próxima versão será o openSUSE Leap 15.

 Para quem não acompanhou o histórico das versões, a pouco tempo atrás a equipe do openSUSE estava trabalhando numa nova versão do sistema operacional baseada no código fonte do SUSE Linux Enterprise, o openSUSE Leap. Nesta época, a versão mais recente do openSUSE era a 13.2 e a do SUSE Linux Enterprise a 12 (caminhando para o SLE 12 SP1).

 A ideia inicial era "combinar" o número da versão do SLE com o Leap, porém, o openSUSE 12.x já tinha sido lançado anteriormente. Devido a este motivo, decidiram então que o número da versão do openSUSE Leap seria a soma do número da versão do SUSE Linux Enterprise com 30 (sendo assim, 12 + 30 = 42 = atual versão do Leap) e assim foi feito.






 Estava tudo combinado em relação à versão do openSUSE Leap, sendo que o sucessor do Leap 42.3 seria mesmo o 43.x, porém, tudo mudou após a SUSE anunciar que a versão do SLE será 15 e não 13.

" Ao saber dos planos da SUSE, a equipe de lançamento do Leap têm vindo a considerar nossas opções. Isto incluiu ignorar as alterações do SLE e liberar o Leap 43 , ao custo da ligação entre versões do SLE e versões do Leap.
45 (versão do Leap) também foi considerado, assim como algumas ideias francamente hilárias que fez-me preocupar com minha própria sanidade e a de meus colegas colaboradores.

 Depois de considerar os prós e contras de todas as opções no entanto, a decisão foi que o Leap 15 será nossa próxima versão.

 A decisão da SUSE de ignorar o SLE 13 e o 14 nos deu uma oportunidade perfeita para sincronizar com as versões do SLE como sempre quisemos originalmente com o Leap. É uma oportunidade que não seremos capazes de levar tão facilmente daqui a alguns anos se continuamos com o versionamento atual do Leap.

 Existem apenas alguns pacotes em nossa distribuição que fazem referência a controle de versão do Leap 42.x, e devem ser facilmente manipulados como parte de um zypper dup, portanto, não estamos preocupados que esta decisão afete a atualização dos usuários.

 Estamos conscientes de que esta decisão pode ser uma pequeno incômodo para os usuários do Leap com ferramentas de gerenciamento de configuração como saltstack e puppet, mas a oportunidade a longo prazo de simplificar tal configuração (por tratar o SLE e Leap de forma semelhante) superaram o nosso desejo de evitar um esforço 'único' para as pessoas que atualmente lidam com a situação excessivamente complicada causada pelo Leap estar na versão 42.x e o SLE na versão 12 SPx.
", tradução livre de parte do anúncio publicado por Richard Brown.

 Sendo assim, em 2018 será lançado o openSUSE Leap 15 e não mais a versão 43.x, devido a mudança no versionamento do SUSE Linux Enterprise. Confira todos os detalhes a respeito dessa mudança no versionamento do openSUSE Leap acessando o anúncio oficial:

  https://lists.opensuse.org/opensuse-project/2017-04/msg00014.html

 E você, caro leitor, o que achou desta decisão? Conte para nós deixando o seu comentário logo abaixo!

 Aproveite e cadastre-se para receber todas as novidades do Blog Opção Linux no seu e-mail, ou siga-nos no Google+, no Twitter ou na nossa página no Facebook! :)

 Muito obrigado pela visita e até +!


Referências:

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Restaurando o Ubuntu e Linux Mint para as configurações de fábrica com o Resetter

Conheça o Resetter, o aplicativo que promete deixar o seu Ubuntu ou Linux Mint para o estado de "recém-instalado".

 Instalar programas nas distribuições derivadas do Debian, como o Ubuntu e o Linux Mint, é uma tarefa fácil, já que a grande maioria dos softwares estão disponíveis nos repositórios oficiais das distros, isso quando não recorremos às famosas PPAs, que são uma mão na roda, mas podem trazer problemas no futuro.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Guia de instalação do Ubuntu 17.04 Zesty Zapus

Neste tutorial você vai aprender a instalar facilmente o Ubuntu 17.04 (Zesty Zapus) no seu computador, seja em dual boot ou em instalação única.

 Na última quinta-feira, dia 13 de abril de 2017, a Canonical disponibilizou para download o Ubuntu 17.04 (codinome 'Zesty Zapus'), que trouxe várias novidades, dentre elas está a substituição da partição Swap por um arquivo Swap File. Este e outros detalhes desta versão acessando o link abaixo:
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Dicas do que fazer após instalar o Ubuntu 17.04 "Zesty Zapus"

Confira, neste tutorial, algumas dicas do que fazer após instalar o Ubuntu 17.04 Zesty Zapus.

 A Canonical disponibilizou ontem, dia 13 de abril de 2017, o Ubuntu 17.04 "Zesty Zapus", conforme reportamos no nosso último post. E como de costume, preparamos um pequeno tutorial com algumas dicas para você que acabou de instalar esta mais nova versão, como a instalação de codecs de áudio e vídeo, deixar o Ubuntu totalmente em português, instalar outros navegadores como o Google Chrome e Opera. Aprenda também a instalar o VLC, o OpenJDK, Dropbox e alguns outros programas! Vamos lá então?!

Tutorial testado no Ubuntu 17.04 Zesty Zapus (64 bits), com ambiente de área de trabalho Unity 7.


Atualizar o sistema

 A primeira coisa a se fazer após instalar o Ubuntu é atualizá-lo. Para isso, basta procurar pelo "Atualizador de Programas" na Dash do Ubuntu, como mostrado na imagem abaixo:


 Ao executá-lo, os repositórios serão atualizados automaticamente e, caso tenha atualizações disponíveis (obviamente que sim), elas serão exibidas em seguida (no meu caso, ainda não havia atualizações disponíveis para o Ubuntu 17.04 no momento que fiz este tutorial (SCREENSHOT), a imagem abaixo é do Ubuntu 16.04 LTS, postada apenas para mostrar como é a interface do programa e seu uso).

 Clique em "Instalar agora", forneça a sua senha de usuário e aguarde:


 Uma outra maneira de atualizar o seu Ubuntu é através do terminal, tecle Ctrl + Alt + T e execute:

sudo apt update && sudo apt upgrade


Deixando o Ubuntu 17.04 totalmente em português

 Mesmo selecionando o idioma "Português" na hora da instalação e depois de instalar as atualizações, como vimos acima, algumas "partes" do Ubuntu ainda ficam em Inglês. Para corrigir isso, abra as "Configurações do sistema", seja na barra lateral ou através do menu na barra superior do Ubuntu:


 E clique em "Suporte a idiomas", como mostrado na imagem a seguir:


 Aparecerá uma caixa de diálogo informando que o suporte ao idioma não está instalado completamente, clique em "Lembre-me mais tarde":


 Em seguida, clique em "Instalar/remover idiomas...", como mostrado pela seta do mouse na imagem abaixo:


 Na tela seguinte, desmarque todos os idiomas, deixando selecionado apenas o "Português".

 Feito isso, clique em "Aplicar", forneça a sua senha de usuário e aguarde:


 Clique em "Aplicar a todo o sistema" e forneça novamente a sua senha. Depois disso, poderá fechar a janela de diálogo.


 Após, abra novamente o "Suporte a idiomas" (conforme indicado acima), clique em "Instalar" para baixar os pacotes de idioma que faltam e aguarde:


 Ou se preferir, abra o terminal e execute o comando a seguir:

sudo apt install mythes-pt-pt thunderbird-locale-pt-br thunderbird-locale-pt-pt hunspell-pt-br hunspell-pt-pt hyphen-pt-br hyphen-pt-pt

 Aguarde a conclusão do processo, e em seguida, reinicie o seu computador para aplicar as mudanças no sistema, ok?!


Habilitando o repositório "Parceiros da Canonical"

 Programas como o Skype estão disponíveis neste repositório, que vem desabilitado por padrão no Ubuntu. Para habilitá-lo, ainda nas "Configurações do sistema", selecione o "Programas e atualizações":


 Acesse a aba "Outros programas" e selecione a opção "Parceiros da Canonical" (será necessário fornecer a sua senha), como mostrado na imagem abaixo.
 Feito isso, clique em "Fechar":


 Será exibido uma janela de diálogo indicando que a informação sobre os aplicativos disponíveis está desatualizada, basta apenas clicar em "Recarregar" para atualizar os repositórios:



Instalando drivers adicionais

 Se você tem, por exemplo, uma placa de vídeo da NVIDIA (ou placa de rede) e queira utilizar o driver proprietário (seja para um melhor desempenho em jogos ou caso o driver de código aberto fornecido com o Ubuntu não funcione adequadamente no seu sistema), basta abrir novamente o "Programas e atualizações", na aba Drivers adicionais", escolha o driver que queira usar e clique em Aplicar alterações (será necessário reiniciar o seu computador para aplicar as alterações).


Instalando os codecs multimídia

 Como quase todas as distribuições Linux, o Ubuntu não traz na sua mídia de instalação os codecs de vídeo e áudio, devido a questões legais em alguns países, mas é possível habilitar o suporte a arquivos MP4, MP3, Flash Player e outros com um único pacote, o ubuntu-restricted-extras. Para instalá-lo, basta clicar no botão abaixo:

Instalar o pacote ubuntu-restricted-extras

 Após clicar no botão, será exibido uma janela de diálogo semelhante a esta abaixo, deixe selecionado a opção "AptURL" e clique em "Abrir link":


 Na janela seguinte, clique em "Instalar" para confirmar a operação, informe a sua senha e aguarde a conclusão:


 Mas caso queira, poderá instalar o pacote que fornece os codecs multimídia no Ubuntu pelo terminal, basta executar:

sudo apt install ubuntu-restricted-extras








Instale o VLC Media Player e/ou o SMPlayer

 O Rhythmbox é o player player de músicas padrão do Ubuntu e de muitas outras distribuições, assim como o aplicativo "Vídeos" (ou Totem) já estão instalados no seu sistema.
 Caso queira instalar o VLC Media Player ou o SMPlayer no Ubuntu, basta clicar num dos botões abaixo:

Instalar o VLC Media Player

Instalar o SMPlayer

 Ou pelo terminal:

- Para instalar o VLC Media Player:

sudo apt install vlc

- Para instalar o SMPlayer:

sudo apt install smplayer


Instalando o Unity Tweak Tool

 O Unity Tweak Tool (ou "Ferramenta de ajustes do Unity") é uma ferramenta muito útil e prática para quem gosta de fazer algumas alterações no Unity. Para instalar, basta clicar no botão abaixo:

Instalar o Unity Tweak Tool

 Caso queira fazer a instalação pelo terminal:

sudo apt install unity-tweak-tool

 Feito isso, procure por "ferramenta" na Dash do Ubuntu (EXEMPLO) para executá-lo:



Minimizar aplicativos clicando no ícone do lançador

 Para habilitar este recurso, clique em "Lançador" no Unity Tweak Tool e selecione a opção "Minimize single window applications on click", como mostrado na imagem abaixo:


 Caso queira alterar essa opção pelo terminal, basta executar:

gsettings set org.compiz.unityshell:/org/compiz/profiles/unity/plugins/unityshell/ launcher-minimize-window true

 Para desabilitar, basta desmarcar (obviamente) a opção "Minimize single window applications on click" no Unity Tweak Tool ou digitar no terminal:

gsettings set org.compiz.unityshell:/org/compiz/profiles/unity/plugins/unityshell/ launcher-minimize-window false


Mudando a posição da barra lateral do Ubuntu

 Para mover a barra do Unity para a parte de baixo, ainda em "Lançador", no Unity Tweak Tool, onde está marcado "Position: Esquerda", basta selecionar a opção "Bottom", conforme destacado na imagem abaixo:


 Já pelo terminal, basta executar:

gsettings set com.canonical.Unity.Launcher launcher-position Bottom

 Para retornar ao padrão, selecione novamente a opção "Position: Esquerda" no Unity Tweak Tool, ou execute no terminal:

gsettings set com.canonical.Unity.Launcher launcher-position Left


Instalando o Gerenciador de pacotes Synaptic

 O Synaptic é um software muito útil e prático para procurar, remover e instalar pacotes sem o uso do terminal, instale-o clicando no botão abaixo:

Instalar o Synaptic

 Ou pelo terminal:

sudo apt install synaptic

Tela inicial do Gerenciador de pacotes Synaptic


Instalando o GDebi

 O GDebi é um pequeno programa que permite instalar pacotes .DEB facilmente no sistema (ele também resolve automaticamente as dependências dos pacotes). Instale o GDebi no Ubuntu clicando no botão:

Instalar o GDebi

 Caso queira utilizar o terminal, instale-o com:

sudo apt install gdebi


Instalando o Steam no Ubuntu

 O Steam é a mais famosa plataforma de distribuição de jogos digitais desenvolvida pela Valve. Para instalar o Steam no Ubuntu, basta abrir um terminal e executar:

sudo apt install steam

 Ou acessar o site oficial para baixar o pacote .DEB:

  http://store.steampowered.com/about/

 E em seguida, fazer a instalação do mesmo através do GDebi, ok?


Instalando outros navegadores no Ubuntu

 Se você não quer utilizar o Mozilla Firefox (que já vem instalado por padrão no Ubuntu), abaixo mostro como instalar os principais navegadores no Ubuntu:

- Chromium:

 Para instalar o Chromium (que é a base do Google Chrome, porém, de código aberto), basta clicar no botão abaixo:

Instalar o Chromium

 Caso queira utilizar o terminal:

sudo apt install chromium-browser

 Abaixo você confere como instalar alguns dos mais populares navegadores:


- Google Chrome (estável):
Lembrando que o Google Chrome para Linux só está disponível para computadores de 64 bits, caso tenha instalado o Ubuntu de 32 bits, instale o Chromium (como mostrado acima), o Vivaldi ou o Opera (explicado logo abaixo), ok?!

 Para instalar o Google Chrome no Ubuntu 17.04, execute os comandos a seguir no terminal:

sudo sh -c 'echo "deb [arch=amd64] http://dl.google.com/linux/chrome/deb/ stable main" >> /etc/apt/sources.list.d/google-chrome.list'
* Adicionando o repositório no sistema.

wget -q -O - https://dl.google.com/linux/linux_signing_key.pub | sudo apt-key add -
* Importando a chave de assinatura do repositório.

 Feito isso, atualize os repositórios e instale o Google Chrome (estável) com o comando:

sudo apt update && sudo apt install google-chrome-stable


- Vivaldi (estável):

 Para instalar o Vivaldi no Ubuntu, tecle:

sudo sh -c 'echo "deb http://repo.vivaldi.com/archive/deb/ stable main" >> /etc/apt/sources.list.d/vivaldi.list'
* Adicionando o repositório no sistema.

wget -q -O - http://repo.vivaldi.com/archive/linux_signing_key.pub | sudo apt-key add -
* Importando a chave de assinatura do repositório.

 Feito isso, atualize os repositórios e instale o Vivaldi (estável) executando:

sudo apt update && sudo apt install vivaldi-stable


- Opera (estável):

 Para instalar o Opera no Ubuntu:

sudo sh -c 'echo "deb https://deb.opera.com/opera-stable/ stable non-free" >> /etc/apt/sources.list.d/opera.list'
* Adicionando o repositório no sistema.

wget -q -O - https://deb.opera.com/archive.key | sudo apt-key add -
* Importando a chave de assinatura do repositório.

 Após, atualize os repositórios e instale o Opera (estável) executando:

sudo apt update && sudo apt install opera-stable


Instalando o OpenJDK (o Java de código aberto)

 Para instalar o OpenJDK no Ubuntu e também o plugin IcedTea Web (que disponibiliza o plugin Java para navegadores), abra o terminal e execute:

sudo apt install openjdk-8-jre icedtea-8-plugin


Instale o Java da Oracle (proprietário)

 Caso queira ou precise instalar o Oracle Java manualmente no Ubuntu (recomendado), acesse o link abaixo:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/06/instalando-java-jre-oracle-no-ubuntu-manualmente.html

 Já para instalar o Oracle Java via repositório PPA, acesse:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/06/instalando-oracle-java-8-no-ubuntu-derivados-ppa.html


Instalando o Telegram Desktop

 O Telegram é um aplicativo de mensagens baseado na nuvem, com foco na segurança e velocidade. Caso queira instalar o Telegram Desktop no Ubuntu, basta acessar o tutorial abaixo (utilizando, de preferência, o método manual):

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/12/Telegram-Desktop-no-Ubuntu-Linux-Mint-e-derivadas.html


Instalando o Skype

 O Skype é um software proprietário da Microsoft que permite comunicação pela Internet através de conexões de voz e vídeo, para instalar no Ubuntu basta clicar no botão abaixo (é necessário ter habilitado o repositório de "Parceiros da Canonical"):

Instalar o Skype

 Ou através do terminal, basta executar:

sudo apt install skype


Instale o Spotify

 O Spotify é um dos serviços de streaming de músicas online mais populares da atualidade, se você tem conta no serviço e quer instalar o cliente oficial do Spotify no Ubuntu, confira o passo a passo em:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/06/instalando-spotify-debian-ubuntu-derivadas.html


Instalando o Dropbox no Ubuntu

 O Dropbox é um serviço de armazenamento de arquivos em nuvem, permitindo acessá-los de qualquer lugar. Caso utilize esse serviço e queira instalar no Ubuntu, basta executar os comandos a seguir no terminal:

echo deb http://linux.dropbox.com/ubuntu xenial main | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/dropbox.list
* Adicionando o repositório no sistema.

sudo apt-key adv --keyserver pgp.mit.edu --recv-keys 5044912E
* Importando a chave de assinatura do repositório.

 Feito isso, atualize os repositórios e instale o Dropbox executando:

sudo apt update && sudo apt install dropbox


Instalando o MEGA Sync no Ubuntu

 O MEGA, assim como o Dropbox, é um serviço de armazenamento em nuvem bastante popular. Se você utiliza esse serviço, veja como instalá-lo no Ubuntu acessando o link abaixo:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2017/04/Instalando-o-MEGA-Sync-no-Debian-e-Ubuntu.html


Instalando o Oracle VM VirtualBox

 O Oracle VM VirtualBox é um software de virtualização gratuito e de código aberto, para instalar no Ubuntu, acesse o tutorial abaixo:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/05/instalando-virtualbox-no-ubuntu-lts.html


Instalando o VMware Workstation Player

 O VMware Workstation Player é um software de virtualização proprietário disponível para sistemas de 64 bits (Linux e Windows), caso queira fazer a instalação do mesmo no Ubuntu 17.04, basta acessar o link abaixo:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/12/Instalando-o-VMware-Workstation-Player-no-Ubuntu.html


Instalando o GParted e outras ferramentas úteis no Ubuntu (dica do Morvan)

 O GParted é um aplicativo do GNOME para editar partições muito popular entre os usuários de Linux. Caso queira instalá-lo no seu Ubuntu, basta clicar no botão abaixo:

Instalar o GParted

 Ou através do terminal:

sudo apt install gparted

 Para instalar outras ferramentas úteis no sistema, como o aptitude, o build-essential (que fornece os pacotes "essenciais" para a compilação de programas), poppler-utils (para manipular documentos PDF) e o cups-pdf (útil para quem precisa de uma impressora PDF), basta executar:

sudo apt install aptitude build-essential most cups-pdf poppler-utils



 Então é isso! Com essas poucas dicas o seu Ubuntu 17.04 (Zesty Zapus) estará "pronto" para o uso diário!

 Caso tenha alguma dúvida, sugestão ou crítica a respeito deste tutorial, basta deixar o seu comentário logo abaixo, ou se preferir, entre em contato conosco!

 Aproveite e cadastre-se para receber todas as novidades do Blog Opção Linux no seu e-mail, ou siga-nos no Google+, no Twitter ou na nossa página no Facebook! :)

 Muito obrigado pela visita e até o próximo tutorial!


Referências:

http://ubuntuforum-br.org/index.php/topic,21018.0.html
http://ubuntuhandbook.org/index.php/2016/03/ubuntu-16-04-move-unity-launcher-to-bottom/
https://www.dropbox.com/pt_BR/help/246


Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

Já está disponível o Ubuntu 17.04, confira algumas das novidades dessa versão e faça já o download!

 Conforme o previsto, foi anunciado hoje, dia 13 de abril de 2017, após cerca de 6 meses de desenvolvimento, a versão final do Ubuntu 17.04 (codinome "Zesty Zapus"), com suporte de 9 meses (receberá atualizações e correções de erros até janeiro de 2018, após esta data, você precisará atualizar para uma versão mais nova do Ubuntu).
 Esta é a penúltima versão do Ubuntu que virá com o ambiente de área de trabalho Unity 7, já que a Canonical decidiu, a partir do Ubuntu 18.04, adotar o GNOME como desktop padrão.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Lançado o AV Linux 2017.4.9!

Já está disponível a mais nova versão do AV Linux de 2017, confira o que há de novo e faça já o download!

 Glen MacArthur, mantenedor do AV Linux, anunciou hoje, dia 12 de abril de 2017, a disponibilidade do AV Linux 2017.4.9, trazendo diversas melhorias e refinamentos, além de um novo sistema de roteamento de áudio.
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!

Aprenda, nesta dica, a instalar a versão mais recente do VMware Workstation Player no Debian 9 "Stretch" e Debian 8 "Jessie".

 O VMware Workstation Player (antes chamado de VMware Player Pro) é um software de virtualização gratuito para computadores de 64 bits, disponível para Linux e Windows. Com uma interface de usuário simplificada, o VMware Workstation permite a criação e execução de sistemas operacionais e aplicativos em uma máquina virtual (guest), ao mesmo tempo que utiliza o sistema operacional que está instalado no seu computador (host).

 Ao contrário do Oracle VM VirtualBox, o VMware Workstation Player é proprietário, possui menos recursos que a sua versão paga, o VMware Workstation Pro (como a possibilidade de criar snapshots e clones das máquinas virtuais) e apenas é permitido o uso pessoal e não comercial.

 Acesse o link abaixo e confira todos os detalhes sobre o VMware Workstation Player:

  http://www.vmware.com/br/products/workstation-for-linux.html


 Oracle VM VirtualBox ou VMware Workstation Player? Qual destes é a melhor opção de virtualização para as minhas necessidades? Descubra os prós e contras de cada versão acessando o link abaixo:

  http://technologyadvice.com/blog/information-technology/vmware-vs-virtualbox/

 Confira também um teste de desempenho entre o Oracle VM VirtualBox e o VMware Workstation Player, acesse:

  http://xmodulo.com/vmware-player-vs-virtualbox-performance-comparison.html

 Vamos à instalação!

   Tutorial testado no Debian 8 "Jessie" e Debian 9 "Stretch", com a versão 12.5.5 do VMware Workstation Player.

Requisitos de sistema

 Os requisitos de sistema exigidos para instalar e executar o VMware Workstation Player são:

  • Processador Intel ou AMD de 64 bits, com velocidade igual ou superior a 1,3 GHz;
  • 4 GB ou mais de memória RAM;
  • 700 MB de espaço em disco para a instalação do software.


Instalando o VMware Workstation Player no Debian

 Você deve atualizar o seu sistema antes de fazer a instalação, para isso, abra um terminal e logue-se como root:

su

 E execute:

apt-get update && apt-get upgrade

Após a conclusão, você DEVE reiniciar o seu computador antes de continuar seguindo os passos a seguir, do contrário, uma das etapas poderá falhar, ok?








 Supondo que você reiniciou o seu computador após atualizar o seu Debian, abra novamente um terminal e logue-se como root:

su

 Em seguida, instale as dependências necessárias executando:

apt-get install linux-headers-`uname -r` build-essential gcc libx11-6 libx11-dev

 Faça o download da versão mais recente do VMware Workstation Player através do site oficial:

  https://www.vmware.com/go/downloadplayer

 Clique no botão de download referente à versão do VMware Workstation Player para Linux, conforme indicado na imagem abaixo:

Página de download do VMware Workstation Player, em abril de 2017

 Acesse a pasta onde baixou o arquivo de instalação pelo terminal, caso o mesmo esteja na pasta "Downloads" (por exemplo), digite:

cd /home/$USER/Downloads

 Após, dê permissão de execução ao arquivo com:

chmod +x VMware*.bundle

 E execute-o:

sh VMware*.bundle

 Será aberto o instalador do VMware Workstation Player, mostrando o Contrato de Licença do VMware Workstation Player, leia-o com atenção (copie e cole num tradutor online, se for o caso) e selecione a opção "I accept the terms in the license agreement" (Eu aceito os termos do contrato de licença) para aceitar, após, pressione "Next":

Contrato de Licença do VMware Workstation Player

 A seguir, será exibido o Contrato de Licença do VMware OVF Tool (também é necessário aceitar a licença para usar o software), leia com atenção, selecione novamente a opção "I accept the terms in the license agreement" e clique em "Next":

Contrato de Licença do VMware OVF Tool

 Na próxima etapa você poderá escolher se o VMware Workstation Player deve procurar ou não atualizações ao iniciar. No meu caso não habilitei essa função, selecionei a opção "No" e cliquei em "Next":

Você deseja que o VMware Workstation Player procure por atualizações ao iniciar?

 Na próxima tela você poderá permitir ou não que o VMware Workstation Player envie informações anônimas sobre o seu sistema e as estatísticas de uso à VMware, eu preferi não enviar, selecionei a opção "No" e cliquei em "Next":

Você deseja que o VMware Workstation Player envie informações anônimas sobre o seu sistema e as estatísticas de uso do programa à VMware?

 A seguir é possível inserir uma Licença do VMware Workstation (caso já tenha comprado e fará o uso comercial do software), mas como no meu caso é apenas para uso pessoal, deixei essa opção em branco e cliquei em "Next":

Você tem a opção de inserir a sua licença do VMware Player (caso tenha comprado), ou apenas clique em "Next"

 Tudo pronto, clique em "Install" para começar a instalação (é óbvio):

Comece a instalação clicando em "Install"

 Agora é aguardar a instalação, que é bem rápida.

Aguarde enquanto o VMware Workstation Player instalado é instalado no sistema...

 Instalação completa, clique em "Finish":

O VMware Workstation Player instalado com sucesso!

 E saia do usuário root no terminal pressionando Ctrl + D ou execute:

exit

 Procure pelo atalho do VMware Player no menu de aplicativos do Debian e clique sobre o mesmo para executá-lo; se preferir, "chame-o" pelo terminal com o comando vmplayer.

 Ao executá-lo pela primeira vez, será exibido uma janela de diálogo semelhante a esta abaixo, selecione a opção "Use VMware Workstation Player for free for non-commercial use" (Usar o VMware Workstation Player gratuitamente para uso não comercial) e digite o seu endereço de e-mail no campo indicado logo abaixo desta opção, como destacado na imagem. Caso tenha comprado uma Licença de uso comercial do VMware Workstation Player, selecione a opção "Enter a license key to allow commercial use" e insira-a logo abaixo).

 Feito isso, clique em "OK":

Insira o seu e-mail para poder utilizar o VMware Workstation Player gratuitamente para uso não comercial

 Tudo pronto, agora poderá utilizar o VMware Workstation Player no seu Debian!

VMware Workstation Player 12.5.5 executando no Debian 9 Stretch


E como faço para desinstalar o VMware Workstation Player?

 Caso queira desinstalar o VMware Workstation Player, primeiro logue-se como root:

su

 E em seguida, execute o comando abaixo:

vmware-installer -u vmware-player

 Será aberto a janela de desinstalação do VMware Workstation Player, nela você será questionado se deseja manter os arquivos de configuração do software, no meu caso optei por deletar, selecionei "No" e cliquei em "Next":

Você deseja manter ou remover os arquivos de configuração do VMware Workstation Player?

 O processo de desinstalação é bem rápido, por aqui levou menos de 5 segundos:

Processo de desinstalação iniciado, aguarde...

 Após, clique em "Close" para fechar a janela:

VMware Workstation Player desinstalado do sistema com sucesso!

 E por fim, saia do usuário root no terminal pressionando Ctrl + D ou execute:

exit

 Fácil, não é?!


 Então é isso! Caso tenha alguma dúvida, sugestão ou crítica a respeito deste tutorial, basta deixar o seu comentário logo abaixo, ou se preferir, entre em contato conosco!

 Aproveite e cadastre-se para receber todas as novidades do Blog Opção Linux no seu e-mail, ou siga-nos no Google+, no Twitter ou na nossa página no Facebook! :)

 Muito obrigado pela visita e até o próximo tutorial!


Referências:

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Instalando o MEGAsync no Debian e no Ubuntu

Confira, nesta dica, o passo a passo de instalação do MEGA Sync Client no Debian e no Ubuntu.

 O MEGA é um serviço de armazenamento e hospedagem de arquivos em nuvem fundado por Kim Dotcom (o mesmo criador do "falecido" Megaupload), que oferece criptografia de ponta a ponta, tanto no envio quanto no download dos arquivos e 50 GB de espaço gratuitamente (uma das principais vantagens em relação a outros serviços de armazenamento).
 Diferente do Google Drive, o MEGA dispõe de um aplicativo para Linux que faz o sincronismo automático entre os arquivos armazenados no seu computador e os que estão armazenados nos servidores do mesmo, que é o MEGA Sync Client (também disponível para Windows, Mac e dispositivos móveis, como o Android, iOS e Windows Phone). Se você é usuário do serviço, utiliza o openSUSE ou o Fedora mas ainda não instalou o MEGA Sync, nesta dica você vai aprender a instalar o cliente oficial do MEGA no seu computador via repositório.