Outubro 2016
Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Telegram Desktop no openSUSE e Fedora

Aprenda, neste tutorial, a instalar o Telegram Desktop no openSUSE e no Fedora, seja manualmente ou através de repositórios.

 O Telegram é um aplicativo de mensagens de código aberto com foco em velocidade e segurança, é super rápido, simples e grátis. Você pode usar o Telegram em todos os seus dispositivos ao mesmo tempo — suas mensagens serão sincronizadas em todos os seus celulares, tablets ou computadores.

 Com o Telegram, você pode enviar mensagens, fotos, vídeos e arquivos (com tamanho de até 1,5 GB) de qualquer tipo (doc, zip, mp3, etc), assim como criar grupos de até 5000 pessoas ou canais para transmitir para audiências ilimitadas. Você pode conversar com seus contatos telefônicos ou procurando-os pelo nome de usuário.

 Confira todas as funcionalidades do Telegram acessando:

  https://telegram.org/faq/br

 Vamos então à instalação do Telegram Desktop, seja manualmente (recomendado) ou por repositórios!

OBS.: Testado no openSUSE Leap 42.1 e 42.2, openSUSE Tumbleweed, Fedora 24 e Fedora 25 Workstation.


Instalando o Telegram manualmente no openSUSE e Fedora (recomendado)


 Baixe a última versão do Telegram Desktop:

- Para sistemas de 64 bits:

  https://tdesktop.com/linux

- Para sistemas de 32 bits:

  https://tdesktop.com/linux32

 Após, abra um terminal e acesse a pasta onde baixou o arquivo, por exemplo a pasta "Downloads":

cd /home/$USER/Downloads

 Descompacte o pacote e mova os arquivos para a sua pasta de usuário com:

tar -xJvf tsetup*.tar.xz && mv Telegram .TelegramDesktop && mv .TelegramDesktop /home/$USER

 Em seguida, crie um link simbólico do Telegram no sistema:

sudo ln -s /home/$USER/.TelegramDesktop/Telegram /usr/bin/telegram

 E também um lançador para o mesmo, copie e cole todo o conteúdo abaixo no terminal e em seguida tecle "Enter":

tee /home/$USER/.local/share/applications/telegram-desktop.desktop <<EOT
[Desktop Entry]
Encoding=UTF-8
Version=1.0
Name=Telegram Desktop
Comment=Official desktop version of Telegram messaging app
Exec=telegram
Icon=telegram
Terminal=false
StartupWMClass=Telegram
Type=Application
Categories=Network;
MimeType=x-scheme-handler/tg;
X-Desktop-File-Install-Version=0.22
EOT

 Feito isso, procure pelo atalho do Telegram Desktop no seu menu de aplicativos ou abra-o pelo terminal digitando:

telegram








Instalando o Telegram no openSUSE via repositório


   Além de adicionar o repositório e instalar o Telegram pelo terminal, como é explicado logo abaixo, você também tem a opção da instalação "semiautomática" através do link:

  https://software.opensuse.org/package/telegram

   Selecionar a versão do openSUSE que está utilizando, escolher o repositório "home:marceloatie" (de preferência), clicar em 1 Click Install e continuar com todo o processo via interface gráfica!

 Abra um terminal e execute um dos comandos abaixo, de acordo com a sua versão do openSUSE:

- No openSUSE Tumbleweed:

sudo zypper ar -f http://download.opensuse.org/repositories/home:/marceloatie/openSUSE_Tumbleweed/ Telegram/MarceloAtie

- No openSUSE Leap 42.2:

sudo zypper ar -f http://download.opensuse.org/repositories/home:/marceloatie/openSUSE_Leap_42.2/ Telegram/MarceloAtie

- No openSUSE Leap 42.1:

sudo zypper ar -f http://download.opensuse.org/repositories/home:/marceloatie/openSUSE_Leap_42.1/ Telegram/MarceloAtie

 Feito isso, execute:

sudo zypper ref

 Para atualizar a lista de repositórios e após, instale o Telegram Desktop com:

sudo zypper in telegram

 Aguarde enquanto o Telegram é instalado e após, abra o mesmo através do atalho criado no menu de aplicativos.


Instalando o Telegram no Fedora via repositório


 Já para o Fedora Workstation, execute o comando abaixo para adicionar o repositório no sistema:

sudo dnf copr enable youssefmsourani/telegram-desktop

 Importe a chave de assinatura do repositório:

sudo rpm --import https://copr-be.cloud.fedoraproject.org/results/youssefmsourani/telegram-desktop/pubkey.gpg

 E instale o Telegram Desktop em seguida com:

sudo dnf install telegram-desktop

 Aguarde enquanto o Telegram é instalado e após, abra o mesmo através do atalho criado no menu de aplicativos.


Configuração pós-instalação do Telegram


 Ao ser executado pela primeira vez ele estará em inglês, como mostra a imagem:

Tela inicial do Telegram após a instalação

 Para deixá-lo em português clique em "Settings" na parte superior, depois, clique em "Change language", como mostrado na imagem abaixo:

Alterando o idioma do Telegram nas configurações

 E selecione o seu idioma (será necessário reiniciar o Telegram após essa modificação), assim que abrir novamente o Telegram, feche a janela de configuração do mesmo e clique em "Comece a conversar":

Clique em "Comece a conversar"

 Informe o código do país (que no caso do Brasil é +55), o DDD da sua região e o número do seu celular:

Insira o seu número do celular

 Caso você já tenha cadastrado o número informado acima no Telegram e tenha o aplicativo do Telegram no seu smartphone ou mesmo o Telegram Desktop em outro computador, aparecerá uma tela semelhante a esta abaixo, informando que foi enviado um código para o aplicativo do Telegram no seu outro dispositivo (você também tem a opção de receber esse código por SMS, basta clicar em "Enviar código via SMS"); assim que receber o código, digite-o no campo indicado e clique em "Próximo" para começar a usar o Telegram no seu computador:

Digite o código que foi enviado para o seu outro dispositivo e clique em "Próximo"

 Caso nunca tenha usado o Telegram, ao informar o seu número do celular na etapa anterior aparecerá uma tela informando que o número não está registrado. Para fazer o cadastro, clique no local indicado pela seta do mouse na imagem abaixo:

Crie uma nova conta no Telegram pelo próprio aplicativo do Telegram para computadores

 Você receberá um código via SMS no seu celular, código este que deverá ser digitado na campo indicado pela seta na imagem abaixo:

Digite o código enviado por SMS para o celular cadastrado e clique em "Próximo"

 Em seguida, informe o seu nome e sobrenome, e escolha também uma foto de perfil (opcional); feito isso, clique em "Cadastrar":

Informe o seu nome e sobrenome, além de uma foto para o seu perfil

 Feito isso, você já poderá utilizar o Telegram na sua distribuição Linux! Caso queira definir um nome de usuário público do Telegram (evitando assim compartilhar o número do seu celular com outras pessoas), clique em "Configurações", na parte superior:

Clique em "Configurações" para definir um nome de usuário público no Telegram

 Logo abaixo do número do seu celular, clique em "Escolher nome de usuário":

Clique em "Escolher nome de usuário"

 E defina um nome de usuário, com no mínimo 5 caracteres, feito isso, clique em "Salvar":

E escolha um nome, com no mínimo 5 caracteres e sem acentos

 Você encontra mais informações sobre as vantagens de escolher um nome de usuário do Telegram acessando:

  https://www.telegram.org/faq/br#nome-de-usurio-e-telegram-me

 Tudo pronto, agora é só começar a utilizar o Telegram no seu computador!

 Aproveite e siga o canal oficial do Blog Opção Linux no Telegram para ficar informado sobre os novos posts publicados, acesse o link https://t.me/BlogOpcaoLinux ou pesquise por @blogopcaolinux na caixa de busca do mesmo. :)

Desinstalando o Telegram Desktop


 Para desinstalar o Telegram é bem simples, caso tenha instalado manualmente (como indicado no início desta dica), basta executar os comandos a seguir (no openSUSE e Fedora):

sudo rm /usr/bin/telegram
* Removendo o link simbólico do sistema;

rm /home/$USER/.local/share/applications/telegram-desktop.desktop
* Removendo o atalho criado manualmente;

rm -rf /home/$USER/.TelegramDesktop
* Removendo a pasta onde o mesmo está instalado.

 E só!


 Caso tenha instalado o Telegram Desktop via repositório, basta executar o comando a seguir:

- No openSUSE:

sudo zypper rm telegram

- No Fedora:

sudo dnf remove telegram

 Para desinstalá-lo do sistema, simples, não?!


 Então é isso, obrigado pela visita e até o próximo tutorial!


 Tem alguma dúvida, sugestão ou crítica a respeito deste tutorial? Então basta deixar o seu comentário logo abaixo, ou se preferir, entre em contato conosco!
 Aproveite e cadastre-se para receber todas as novidades do blog Opção Linux no seu e-mail, ou siga-nos no Google+, no Twitter ou na nossa página no Facebook, aproveite que essas opções ainda são gratuitas! :)


Referências:

Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Dicas do que fazer após instalar o Ubuntu 16.10 "Yakkety Yak"

Veja, neste tutorial, algumas dicas do que fazer após instalar o Ubuntu 16.10 Yakkety Yak.

 A Canonical anunciou na semana passada, dia 13 de outubro, o Ubuntu 16.10 Yakkety Yak, conforme noticiamos, e horas após, publicamos um tutorial completo de instalação do mesmo, que você pode conferir clicando neste link.
 Com o Ubuntu instalado, vamos a um tutorial "básico" de pós-instalação, fazendo algumas "melhorias", tais como deixá-lo totalmente em português, instalar outros navegadores, o OpenJDK, VLC e outros programas!


Atualizar o sistema


 A primeira coisa a se fazer é atualizar o seu sistema, abra um terminal (teclando Ctrl + Alt + t) e digite:

sudo apt update && sudo apt upgrade

 Forneça a sua senha de usuário e aguarde a conclusão do processo. Caso queira, você também pode utilizar o próprio utilitário do Ubuntu para procurar e instalar as atualizações, pesquise por "Atualizador de programas" ou "update" (sem aspas) na Dash do Ubuntu:

Pesquise por "update" na Dash do Ubuntu

 Dê um clique sobre o "Atualizador de programas" para abrir o mesmo (obviamente) e aguarde enquanto ele procura por atualizações. No meu caso, ainda não havia atualizações para o Ubuntu 16.10 quando eu o executei:

Atualizador de programas do Ubuntu



Deixe o Ubuntu 16.10 totalmente em português


 Mesmo selecionando o idioma "Português" na hora da instalação e após instalar as atualizações, algumas "partes" do Ubuntu ainda ficam em inglês. Para corrigir isso, pesquise na Dash do Ubuntu por "idioma", clicando em seguida sobre "Suporte a idiomas", conforme mostra a imagem:

Pesquise por "idioma" na Dash do Ubuntu

 Aparecerá uma mensagem dizendo que o suporte para o idioma escolhido está incompleto, clique em "Lembre-me mais tarde":

O suporte ao idioma não está instalado completamente

 Em seguida, clique em "Instalar/remover idiomas...":

Clique em "Instalar / remover idiomas"

 Na tela seguinte basta desmarcar todos os idiomas, deixando somente o "Português" marcado (obviamente), feito isso, clique em "Aplicar", forneça a sua senha e aguarde:

Deixe marcado somente o idioma "Português" na lista

 Em seguida, clique em "Aplicar a todo o sistema", forneça a sua senha e após, poderá fechar a janela:

Clique em "Aplicar a todo sistema"

 Após, você poderá novamente abrir o "Suporte a idiomas", conforme descrito acima, e clicar em "Instalar" para instalar os pacotes de idioma que faltam.
 Se quiser, pode fazer isso também pela linha de comando, abra um terminal e digite:


sudo apt install mythes-pt-pt thunderbird-locale-pt-br thunderbird-locale-pt-pt hunspell-pt-br hunspell-pt-pt hyphen-pt-br hyphen-pt-pt

 Aguarde a conclusão do processo, e em seguida, reinicie o seu computador para aplicar as mudanças no sistema, ok?!



Habilite o repositório "Parceiros da Canonical"


 Por padrão, este repositório vem desabilitado no Ubuntu, e programas como o Skype estão disponíveis no mesmo. Para habilitá-lo, procure por "Programas e atualizações" na Dash do Ubuntu, após, na aba "Outros programas", marque a opção "Parceiros da Canonical" (será necessário fornecer a sua senha), conforme mostra a imagem abaixo:

Habilitar o repositório "Parceiros da Canonical"

 Ao fechar a janela você será questionado para atualizar a lista de repositórios, para isto, basta clicar em "Recarregar".



Instale codecs de mídia


 Como quase todas as distribuições Linux, o Ubuntu não traz na sua mídia de instalação os codecs de vídeo e áudio, devido a questões legais em alguns países, mas é possível habilitar o suporte a arquivos MP4, MP3, Flash Player e outros com um único pacote, o ubuntu-restricted-extras, para instalar, basta digitar no terminal:

sudo apt install ubuntu-restricted-extras








Instale o VLC Media Player e/ou o SMPlayer


 O Ubuntu já traz por padrão o Rhythmbox (player de músicas) e o aplicativo "Vídeos" (ou Totem, que como próprio nome diz é um reprodutor de vídeos, mas que também de arquivos de áudio), mas caso queira utilizar um player completo e bastante popular, que é o caso do VLC Media Player, ou o SMPlayer, que é tão bom quanto o VLC, basta somente digitar no terminal:

VLC Media Player:

sudo apt install vlc

SMPlayer:

sudo apt install smplayer



Instale o Skype


 Como habilitamos o repositório de "Parceiros da Canonical", basta somente 1 comando para instalar o Skype:

sudo apt install skype



Instalando o Gerenciador de pacotes Synaptic


O Synaptic é um software muito útil e prático para procurar, remover e instalar pacotes sem o uso do terminal, instale-o com:

sudo apt install synaptic

Tela inicial do Gerenciador de pacotes Synaptic



Instale o OpenJDK (o Java de código aberto)


 Para instalar o OpenJDK no Ubuntu e também o plugin IcedTea Web (que disponibiliza o plugin Java para navegadores) tecle:

sudo apt install openjdk-8-jre icedtea-8-plugin



Instale o Oracle Java 8


 Caso queira ou precise instalar o Oracle Java (proprietário), acesse o nosso tutorial de instalação manual do mesmo:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/06/instalando-java-jre-oracle-no-ubuntu-manualmente.html

 Para instalar o Oracle Java via repositório PPA acesse:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/06/instalando-oracle-java-8-no-ubuntu-derivados-ppa.html



Instale o Oracle VM VirtualBox


 O Oracle VM VirtualBox é um software de virtualização gratuito e de código aberto, para instalar no Ubuntu, acesse o tutorial abaixo:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/05/instalando-virtualbox-no-ubuntu-lts.html



Instale outros navegadores


 Se você não quer utilizar o Firefox (que já vem instalado por padrão no Ubuntu), você pode instalar o Chromium (que é a base do Google Chrome, porém, de código aberto), basta digitar no terminal:

sudo apt install chromium-browser

 Abaixo você confere como instalar alguns dos mais populares navegadores:


Google Chrome

 Para instalar o Google Chrome no Ubuntu 16.10 Yakkety Yak, tecle:

sudo sh -c 'echo "deb http://dl.google.com/linux/chrome/deb/ stable main" >> /etc/apt/sources.list.d/google.list'
wget -q -O - https://dl.google.com/linux/linux_signing_key.pub | sudo apt-key add -
sudo apt update && sudo apt install google-chrome-stable

* Lembrando que a Google não disponibiliza mais a versão de 32 bits do Chrome para Linux.


Vivaldi

 Para instalar o Vivaldi no Ubuntu, tecle:

sudo sh -c 'echo "deb http://repo.vivaldi.com/archive/deb/ stable main" >> /etc/apt/sources.list.d/vivaldi.list'
wget -q -O - http://repo.vivaldi.com/archive/linux_signing_key.pub | sudo apt-key add -
sudo apt update && sudo apt install vivaldi-stable


Opera

 Para instalar o Opera no Ubuntu:

sudo sh -c 'echo "deb https://deb.opera.com/opera-stable/ stable non-free" >> /etc/apt/sources.list.d/opera.list'
wget -q -O - https://deb.opera.com/archive.key | sudo apt-key add -
sudo apt update && sudo apt install opera-stable



Instale drivers adicionais


 Se você tem, por exemplo, uma placa de vídeo da NVIDIA ou placa de rede Wi-Fi e opte por utilizar o driver proprietário (seja para um melhor desempenho ou caso o driver de código aberto fornecido com o Ubuntu não funciona como deveria), basta abrir novamente o "Programas e atualizações", feito isso, na aba "Drivers adicionais" basta escolher o driver que quer usar e clicar em "Aplicar alterações".



Fazendo algumas "melhorias" no Ubuntu


 O Unity Tweak Tool (ou "Ferramenta de ajustes do Unity") é uma ferramenta muito útil e prática para quem gosta de fazer algumas alterações no Unity. Para instalar, abra um terminal e digite:

sudo apt install unity-tweak-tool


Minimizar aplicativos clicando no ícone do lançador

 Para habilitar este recurso, ainda em "Lançador" no Unity Tweak Tool, basta marcar a opção Minimize single window applications on click:

Habilitando a opção de minimizar as janelas com um clique

 Para alterar essa opção pelo terminal, tecle:

gsettings set org.compiz.unityshell:/org/compiz/profiles/unity/plugins/unityshell/ launcher-minimize-window true

 Para desabilitar:

gsettings set org.compiz.unityshell:/org/compiz/profiles/unity/plugins/unityshell/ launcher-minimize-window false


Mudando a posição da barra lateral do Ubuntu

 Para mover a barra do Unity para a parte de baixo, abra a Ferramenta de ajustes do Unity >>> Lançador e em Aparência, onde está marcado "Position: Esquerda", basta selecionar "Bottom", conforme indica a imagem abaixo:

Movendo a barra lateral do Ubuntu para a parte inferior no Unity Tweak Tool

 Ou se preferir, pelo terminal:

gsettings set com.canonical.Unity.Launcher launcher-position Bottom

 Para retornar ao padrão:

gsettings set com.canonical.Unity.Launcher launcher-position Left



Desabilitar o download automático de atualizações do GNOME Software


 Por padrão, o GNOME Software (que substitui a antiga Central de Programas do Ubuntu) verifica e faz o download das atualizações para o Ubuntu automaticamente, caso queira desabilitar isso, basta teclar:

gsettings set org.gnome.software download-updates false

 Para reverter o processo:

gsettings set org.gnome.software download-updates true



Desabilitar as mensagens de erro do Apport


 Quem já usa o Ubuntu a algum tempo provavelmente já viu uma mensagem de erro do sistema, com os dizeres "O Ubuntu apresentou um erro interno", com a opção de enviar um relatório com o erro para a Canonical. Apesar de não presenciar no Ubuntu 16.10 "Yakkety Yak", na última versão LTS do Ubuntu, a "Xenial Xerus", essas mensagens de erro do Apport apareceram algumas vezes:

Mensagem de erro do Apport no Ubuntu 16.04 LTS

 Caso queira que essas mensagens não apareçam, basta teclar no terminal:

sudo nano /etc/default/apport

 Altere enabled=1 para enabled=0, conforme mostra a imagem:

Desabilitando mensagens de erro do Apport

 Tecle Ctrl + o para salvar, Enter para confirmar e Ctrl + x para sair. Após reiniciar o computador estas mensagens não vão mais aparecer, mas caso queira desabilitar o Apport imediatamente sem precisar reiniciar, digite:

sudo service apport stop


 Então é isso! Com essas poucas dicas o seu Ubuntu 16.10 Yakkety Yak estará "pronto" para o uso!

Obrigado pela visita e até o próximo tutorial!

 Tem alguma dúvida, sugestão ou crítica a respeito deste tutorial? Então basta deixar o seu comentário logo abaixo, ou se preferir, entre em contato conosco!
 Aproveite também e cadastre-se para receber todas as novidades do blog Opção Linux no seu e-mail, ou siga-nos no Google+, no Twitter ou na nossa página no Facebook, aproveite que essas opções ainda são gratuitas! :)


Referências:


Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
openSUSE Leap 42.2 Release Candidate 1 já disponível!

Já está disponível o primeiro Release Candidate do openSUSE Leap 42.2, saiba quais são as novidades e faça o download!

 Hoje, dia 18 de outubro de 2016, conforme previsto, o Projeto openSUSE anunciou a disponibilidade do openSUSE 42.2 Release Candidate 1 (RC1).

######

Já está disponível o openSUSE Leap 42.2, confira as novidades acessando:

www.blogopcaolinux.com.br/2016/11/Lancado-o-openSUSE-Leap-42-2-download.html

######

 Nesta nova versão foram adicionadas várias correções de bugs para o KDE com o Plasma 5.8.1 LTS, fornecendo assim um desempenho mais estável para os usuários do KDE. Os jogos do GNOME foram atualizados neste RC1, além de ser adicionado o OpenStack Client e vários outros softwares úteis para os desenvolvedores e administradores de sistemas. E para quem procura um gerenciador de login mais "leve", está incluído neste RC1 o LightDM na versão 1.19.5.






"Desde meados de maio, o projeto tem guiado o desenvolvimento da próxima versão, o openSUSE Leap 42.2, que será lançado em 29 dias. O lançamento do RC1 completa o processo de desenvolvimento para o openSUSE Leap 42.2, baseado no código fonte do SUSE Linux Enterprise (SLE) Service Pack (SP) 2.", diz o anúncio oficial.

 O openSUSE Leap 42.2 RC1 também conta o do Kernel 4.4.24 LTS, que fornece alguns patches para a arquitetura ARM 64. Confira estes e outros detalhes sobre essa nova build do openSUSE Leap no anúncio oficial, acesse:

  https://news.opensuse.org/2016/10/18/release-candidate-available-for-opensuse-leap-42-2/


 Leia também:

  Lançado o segundo e último Release Candidate do openSUSE Leap 42.2 - Blog Opção Linux

  openSUSE Leap 42.2 Beta 3 já está disponível! - Blog Opção Linux

  Segundo Beta do openSUSE Leap 42.2 é liberado para download! - Blog Opção Linux

  Lançado a primeira versão beta do openSUSE Leap 42.2! - Blog Opção Linux


 Antes da versão final, que será disponibilizada oficialmente no dia 16 de novembro de 2016, o openSUSE Leap 42.2 contará com mais uma build Release Candidate, com lançamento previsto para o dia 2 de novembro.

 Faça o download do primeiro Release Candidate do openSUSE Leap 42.2, acesse o link:

  https://software.opensuse.org/developer/pt_BR?release=developer

* Só lembrando (mais uma vez) que o openSUSE Leap só está disponível para computadores de 64 bits, e, por não ser uma versão final, esta contém bugs a serem corrigidos, mas você pode ajudar os desenvolvedores do openSUSE relatando qualquer bug encontrado em https://bugzilla.opensuse.org.

 Obrigado pela visita e até +!

 Ah, aproveite e cadastre-se para receber todas as novidades do blog Opção Linux no seu e-mail, ou siga-nos no Google+, no Twitter ou na nossa página no Facebook, aproveite que essas opções ainda são gratuitas! :)


Referência:


Sua fonte de informação sobre Linux, com notícias, tutoriais e dicas de fácil entendimento para usuários do openSUSE, Fedora, Debian e Ubuntu!
Guia de instalação do Ubuntu 16.10 Yakkety Yak

Neste tutorial, você vai aprender a instalar passo a passo o Ubuntu 16.10 no seu computador (com ou sem dual boot) de um jeito simples e prático.

 A Canonical anunciou hoje, dia 13 de outubro de 2016, a versão final do Ubuntu 16.10 (codinome "Yakkety Yak"), você pode conferir algumas das novidades dessa nova versão acessando o nosso post anterior ou acessando o anúncio oficial.

 Vamos então à instalação!

 Para este tutorial utilizei uma máquina virtual criada no Oracle VM VirtualBox, versão 5.1.6, onde já tinha instalado o Windows 10 (com o recurso EFI habilitado) num disco virtual de 50GB e 2GB de RAM; apesar disso, os procedimentos abaixo podem ser realizados em computadores com ou sem UEFI e fazendo ou não dual boot.


Tópicos desse artigo:

  Antes de tudo, o que fazer?

  Download do Ubuntu 16.10 Yakkety Yak

  Gravando a ISO baixada no DVD ou pen drive

  Particionando o HD

  Instalando o Ubuntu 16.10 Yakkety Yak

  Possíveis problemas



Antes de tudo, o que fazer?


 Você quer instalar o Ubuntu ao lado do Windows ou de alguma outra distribuição Linux instalada no seu HD (fazendo o "famoso" dual boot)? Então siga as recomendações abaixo:

  • Faça BACKUP de todos os seus arquivos (músicas, documentos, etc). Isso é de extrema importância, pois caso algo dê errado, seus dados estarão a salvo. Veja mais detalhes de como fazer isso neste tutorial do wikiHow.

     Você encontra mais detalhes de como fazer backup dos seus arquivos (e também do seu HD) no nosso artigo, acesse:

      http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/10/o-que-fazer-antes-de-instalar-o-linux.html#backup

     Desde já deixo claro que NÃO me responsabilizo por possíveis perdas de dados que venham a acontecer (apesar que o risco disso acontecer seguindo os passos desse tutorial é mínimo, mas pode acontecer), por isso a importância de fazer uma cópia de seus dados.

  • Faça a DESFRAGMENTAÇÃO da partição onde está o Windows (pelo menos 2 vezes) ou da partição que irá redimensionar para instalar o Ubuntu. O Windows já vem com uma ferramenta de desfragmentação, sendo desnecessária a instalação de outros programas.

     Confira na dica abaixo como desfragmentar o seu HD pelo Windows, acesse:

      http://www.blogopcaolinux.com.br/p/como-desfragmentar-o-hd.html.

  • Desative a Inicialização rápida do Windows, um recurso presente no Windows 10, Windows 8 e 8.1.

     Para isso, abra o Painel de Controle, depois vá em Opções de energia >> Alterar o funcionamento dos botões de energia, feito isso, clique em Alterar configurações não disponíveis no momento e desmarque a opção "Ligar inicialização rápida", após, salve as alterações.


* Caso seu computador não dê boot pelo DVD ou pendrive e tenha UEFI, pode ser necessário desativar o Boot Seguro (Secure Boot), veja como fazer esse procedimento nesse tutorial do site TecMundo.

 Para mais informações do que fazer antes de instalar o Ubuntu 16.10 no seu computador você confere no nosso outro post, acesse:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/10/o-que-fazer-antes-de-instalar-o-linux.html


OBS.: Se tiver um notebook da Samsung com UEFI, fique atento a esta notícia antes de fazer um dual boot com Linux:

  https://tecnoblog.net/123104/notebooks-samsung-linux-brick/


Download do Ubuntu 16.10 "Yakkety Yak"


 Faça o download do Ubuntu 16.10, acesse:

  http://releases.ubuntu.com/16.10/

 No nosso post anterior você encontra também os links para baixar todas as versões do Ubuntu, acesse:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/10/lancado-ubuntu-16-10-yakkety-yak.html

 Após o download, verifique a integridade da ISO, como é explicado na dica abaixo, publicada no site Viva o Linux, acesse:

  https://www.vivaolinux.com.br/dica/Como-checar-verificar-md5sum


Gravar a ISO no pen drive ou DVD


 Existem vários programas para gravar ISOs em CDs/DVDs e pen drives, cito aqui apenas alguns deles que já usei e recomendo.

 Caso esteja no Windows e deseja utilizar um DVD para gravar a ISO, poderá utilizar o próprio utilitário do Windows para isso, mas também é possível utilizar outros programas para isso, como o popular Nero (que é pago), além do InfraRecorder (que é gratuito e de código aberto) e do CDBurnerXP (gratuito).

 Para gravar a ISO do Ubuntu 16.10 num pen drive, no Windows, recomendo que use o Rufus, veja como criar um pen drive bootável acessando:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2016/10/pen-drive-bootavel-do-linux-no-windows-rufus.html

 No Linux, se for utilizar um DVD para instalar o Ubuntu 16.10, recomendo gravar a ISO utilizando o Brasero ou o K3B (que estão disponíveis nos repositórios de várias distros).

 Caso queira utilizar um pen drive, utilize o UNetbootin ou grave a ISO pelo terminal utilizando o "dd", confira como acessando:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2015/12/como-criar-um-pendrive-bootavel-pelo.html


Particionando o HD


 Supondo que você já tenha feito backup dos seus dados e que fez a desfragmentação do seu HD, agora você precisa de um espaço vazio no seu HD para instalar o Ubuntu, abaixo você encontra dois tutoriais de como redimensionar as suas partições:

 Caso tenha o Windows instalado, recomendo que utilize a ferramenta de gerenciamento de disco nativa do mesmo, veja como utilizá-la acessando:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/p/redimensionar-particoes-no-windows.html

 Caso tenha alguma distribuição Linux no seu HD, utilize o GParted num Live CD ou pen drive para redimensionar as suas partições, veja como utilizá-lo acessando:

  http://www.blogopcaolinux.com.br/2015/11/redimensionando-particoes-com-o-gparted.html

* Você também pode utilizar o GParted para redimensionar a partição do Windows caso queira, mas, como dito anteriormente, o recomendado é utilizar o próprio Gerenciador de discos do Windows, o que pode evitar alguns problemas.


 Após criar um espaço vazio no seu HD, reinicie o computador com o pen drive ou DVD criado anteriormente e vamos para o próximo, a instalação do Ubuntu 16.10 "Yakket Yak"!


Instalando o Ubuntu 16.10 "Yakkety Yak"


 Vamos então à instalação do Ubuntu 16.10 no computador!

 Após reiniciar (e se seu computador estiver configurado corretamente) irá aparecer uma tela semelhante a esta (caso seu computador tenha UEFI):

Tela de boot do Ubuntu 16.10 Yakkety Yak

 Deixe selecionado a opção Try Ubuntu without installing (Experimentar o Ubuntu sem instalar) e tecle Enter. Caso seu computador seja mais "antigo" e tenha BIOS, a tela será semelhante a esta.


OBS.: Se seu HDD é "novo" e/ou quer deixar o Ubuntu como o único sistema operacional no seu computador continue lendo a partir deste ponto.

 Aguarde o sistema carregar e em pouco tempo irá surgir a área de trabalho do Ubuntu, logo em seguida clique no ícone do Ubuntu na barra lateral à esquerda, como indica a imagem:

Clique no ícone do Ubuntu na barra lateral

 Digite gparted no campo de pesquisa do Unity e clique para abrir o GParted (é óbvio) para criarmos as partições e instalar o Ubuntu:

Pesquisar por gparted no Dash do Ubuntu

 Com o GParted aberto você poderá selecionar em qual HD quer instalar o Ubuntu (caso tenha mais de um), para isso escolha o seu dispositivo na lista indicada pela "Seta 1" na imagem abaixo:

Selecione o seu HD onde vai instalar o Ubuntu

 Após selecionar o HD onde você criou anteriormente um espaço livre, verá uma área cinza com nome "Unallocated" (ou "Não alocado"); clique com o botão direito do mouse sobre esse espaço e após em New (ou "Novo") para criar uma nova partição, como mostra a imagem abaixo:

Clique no espaço vazio para criar uma nova partição

 No meu caso vou criar somente duas partições, a partição raiz "/" e a "swap"; caso queira que a partição de dados ( /home ) fique separada da partição raiz, basta somente criar uma partição com o tamanho desejado e/ou, caso já tenha uma partição /home separada, basta que na hora da instalação do sistema você informe o ponto de montagem /home.

 Vamos criar primeiro a partição raiz, na imagem abaixo podemos destacar:

1 - Defina o tamanho (em MB) para a nova partição; no meu caso, vou deixar 21 GB para a partição raiz (1 GB = 1024 MB, então, 1024 x 21 = 21504 MB ou 21 GB);

2 - Selecione o sistema de arquivos para a partição raiz, recomendo que utilize o EXT4, que é o mais utilizado atualmente.

 Feito isso, clique em "Add":

Crie a partição que será a raiz do sistema

 Após, crie uma área de troca ( swap ) para o sistema; o tamanho recomendado para a mesma é o dobro do tamanho da memória RAM do seu computador, ou seja, se seu computador tem 3 GB de RAM (por exemplo), use uma partição de 6 GB para a swap; mas, no meu caso, desde a primeira vez que utilizei Linux (e até hoje), sempre deixei a swap com 4 GB (atualmente tenho 7 GB de RAM), e nunca cheguei a utilizar metade dela, portanto fica a seu critério utilizar o dobro de RAM para a swap (como é recomendado) ou o tamanho que desejar (mas aconselho a deixar no mínimo 4GB para ela também, só por garantia, ok?!).

 Na imagem abaixo destacamos:

1 - Escolha o tamanho para a partição swap, no meu caso vou utilizar o restante do espaço livre no meu disco, o que dá aproximadamente 4 GB;

2 - Defina o sistema de arquivos como linux-swap.

 Feito isso, clique em "Add":

Crie a partição swap

 Ao concluir a criação das partições clique em "Apply All Operations" ("Aplicar todas as operações"), como indicado pela seta na imagem abaixo:

Aplicar todas as operações no HD

 Vai aparecer um aviso do GParted para você confirmar as mudanças que serão feitas no disco, verifique com cuidado e se tudo estiver correto clique em "Apply" ("Aplicar"):

Confirme as mudanças a serem realizadas no HD

 Agora é só aguardar o GParted concluir as operações; logo após, as partições estarão criadas, feche a janela do GParted e vamos para o próximo passo:

Partições criadas, feche o GParted

 Dê dois cliques em "Install Ubuntu 16.10":

Clique em "Install Ubuntu 16.10"

 Na próxima tela selecione o idioma (no meu caso, o Português do Brasil) e clique em "Continuar":

Selecione o idioma de instalação

 No próximo passo você poderá escolher "Baixar as atualizações enquanto instala o Ubuntu" e "Instalar drivers de vídeo, Wi-Fi e codecs não incluídos na mídia de instalação do Ubuntu". Para isso, basta simplesmente selecionar essas opções; no meu caso, deixei essas opções desmarcadas, já que podemos fazer isso após a instalação do Ubuntu, fica a seu critério marcar essas opções ou não:

Escolher ou não se o Ubuntu deve baixar atualizações e instalar drivers durante a instalação

 Agora vem uma das partes mais importantes da instalação, que é a configuração do disco onde vai instalar o Ubuntu.
 Caso você não tenha nenhum outro sistema operacional no seu computador (por exemplo, se o HDD é novo), a tela que irá aparecer será semelhante a esta. SE esse for o teu caso, recomendo deixar essa opção marcada, com isso o Ubuntu irá configurar automaticamente as partições no disco e você poderá continuar lendo a partir deste ponto.

 Caso tenha outro sistema no computador (seja Windows ou Linux) você poderá escolher a opção "Instalar Ubuntu ao lado do Windows Boot Manager" (caso tenha o Windows instalado) ou "Instalar Ubuntu ao lado do Fedora release" (caso tenha o Fedora já instalado no HD, por exemplo), dessa forma o Ubuntu irá configurar automaticamente o dual boot para você.






 Apesar do próprio Ubuntu fazer o "trabalho" todo de dual boot para você (como explicado acima), se você tem algum sistema instalado no HD, eu recomendo que escolha a "Opção Avançada", conforme mostrado pela "Seta 1" na imagem abaixo, assim você poderá selecionar as partições e os pontos de montagem de cada uma manualmente.

 Abaixo mostro como fazer a instalação do Ubuntu utilizando a "Opção Avançada", selecionada a opção, clique em "Continuar":

Selecione a "Opção Avançada" e clique em continuar

 Nesse passo, como criamos as partições anteriormente, basta somente selecionar cada partição e informar o ponto de montagem da mesma.

 Primeiramente vamos configurar a partição raiz, que no meu caso é a sda5 (FIQUE ATENTO E SELECIONE A PARTIÇÃO CORRETA), selecione a partição e clique em "Alterar":

Selecione a partição raiz criada anteriormente e clique em "Alterar"

 Agora altere as opções, conforme mostrado na imagem abaixo:

1 - Em "Usar como", selecione a opção "Sistema de arquivos com 'journaling' ext4";

2 - Marque a opção "Formatar a partição";

3 - E em "Ponto de montagem", defina como / (barra) ou "raiz do sistema".

 Feito isso, clique em "Ok":

Defina o sistema de arquivos, se deve formatar a partição e o seu ponto de montagem

 Como já criamos a partição swap anteriormente não é necessário mudar mais nada, o próprio Ubuntu irá reconhecê-la.
Observe também que SOMENTE a partição onde o Ubuntu será instalado vai ser formatada.

 Tudo certo, clique em "Instalar agora":

Tudo pronto, clique em "Instalar agora"

 Atenção: Será mostrado um aviso com as modificações que serão feitas no seu HD, caso queira fazer alguma outra modificação ou se tem algo errado, basta clicar em "Voltar", mas se estiver tudo correto, clique em "Continuar":

Confirme as mudanças e clique em "Continuar"

 Vamos agora para a pré-configuração do Ubuntu; selecione a região correspondente ao seu fuso horário (no meu caso é o de Brasília/São Paulo) e clique em "Continuar":

Selecione o seu fuso horário

 Selecione o layout que corresponde ao seu teclado, no meu caso é a primeira opção em "Português (Brasil)".
 Caso esteja em dúvida, você pode fazer testes digitando caracteres especiais (por exemplo) no campo próprio para isso e veja se os caracteres que aparecerem "conferem" com as teclas digitadas; ou, se preferir, clique em Detectar layout do teclado (indicado pela seta na imagem abaixo) para iniciar o assistente de configuração de teclado do Ubuntu. Após concluir, clique em "Continuar":

Selecione o layout do seu teclado

 Na tela seguinte você deverá informar o seu nome completo, definir um nome para o seu computador (ou hostname), nome de usuário do sistema e uma senha para utilizar o computador:

Informe o seu nome e defina um hostname, nome de usuário do sistema e senha

 Agora é só aguardar a instalação do Ubuntu (que é bem rápida)! Caso tenha marcado a opção "Baixar as atualizações enquanto instala o Ubuntu" (por exemplo), esse processo pode demorar um pouco mais:

Aguarde enquanto o Ubuntu é instalado!

 Instalação completa! Clique em "Reiniciar agora" para reiniciar o computador (obviamente) e começar a usar o Ubuntu!

Instalação completa, clique em "Reiniciar agora"

* Será pedido que remova o disco de instalação do Ubuntu e pressione ENTER antes do sistema reiniciar, como mostrado na tela abaixo:

Remova o DVD ou pen drive de instalação e tecle ENTER

 Se estiver fazendo dual boot com o Windows ou outro Linux (e se tudo correr bem) essa será a tela ao iniciar/reiniciar o computador (o GRUB), basta usar as teclas direcionais e escolher o sistema que quer usar:

Tela do GRUB, mostrando os sistemas operacionais instalados

 Faça logon na sua conta criada durante a instalação:

Área de trabalho do Ubuntu 16.10 Yakkety Yak

 E comece a usar o Ubuntu 16.10 Yakkety Yak!

Área de trabalho do Ubuntu 16.10 Yakkety Yak


Possíveis problemas


 Se por acaso, após fazer a instalação do Ubuntu Yakkety Yak, não aparecer o GRUB e iniciar diretamente no Windows, será necessário configurar a opção de inicialização dentro do próprio Windows. Para isso, abra o Prompt de Comando (como Administrador) e execute:

bcdedit /set {bootmgr} path \EFI\ubuntu\grubx64.efi

Prompt de comando


Após, provavelmente o GRUB será o gerenciador de boot padrão. Caso o Windows continue iniciando direto, tente recuperar o GRUB através do Boot-Repair, como é explicado neste post publicado no Viva o Linux, acesse:

  https://www.vivaolinux.com.br/dica/Boot-Repair-Como-recuperar-o-GRUB-facilmente/


 Tem alguma dúvida, sugestão ou crítica a respeito deste tutorial? Então deixe o seu comentário logo abaixo, ou se preferir, entre em contato conosco!

 Aproveite e cadastre-se para receber todas as novidades do blog Opção Linux diretamente no seu e-mail, ou siga-nos no Google+, no Twitter ou na nossa página no Facebook, aproveite que essas opções ainda são gratuitas! :)

 Obrigado pela visita e até o próximo tutorial!


Referências: