Principais categorias:

Tutoriais de instalação e pós-instalação do openSUSE, Fedora, Debian e do Ubuntu, além de notícias e dicas sobre Linux em geral!
Como instalar manualmente o Firefox no openSUSE e no Fedora

Você vai aprender, nesta dica, a instalar manualmente as principais versões do Firefox no openSUSE e no Fedora Workstation.

 O Mozilla Firefox (ou simplesmente Firefox) é um navegador de código aberto desenvolvido pela Mozilla Foundation, disponível para Linux, Windows, macOS e dispositivos móveis (Android e iOS); ele utiliza o motor de renderização Gecko (exceto a versão para iOS) e tem foco na velocidade de navegação, e, principalmente, na segurança e privacidade na internet. É também um dos navegadores mais utilizados atualmente, ficando atrás apenas do Google Chrome entre os usuários de desktops, segundo dados do site StatCounter.

 Uma das vantagens do Firefox é de ser, sem dúvida, um navegador altamente personalizável. Além das milhares de extensões disponíveis que adicionam novas funcionalidades ao navegador, é possível mudar o visual do mesmo com temas e também reorganizar, da maneira que achar melhor, praticamente todos os elementos da janela, como, por exemplo, as barras de endereço/pesquisa e os botões de navegação (avançar, voltar, etc.).

Navegador Mozilla Firefox no Linux

 O Firefox possui uma série de recursos projetados para melhorar a segurança, como um bloqueador de pop-ups integrado e a proteção contra phishing e malware, que bloqueia o carregamento de páginas relatadas como falsas e o download de arquivos e/ou softwares maliciosos.
 E para quem utiliza o navegador da Mozilla em vários dispositivos, há também o Firefox Sync, que é uma maneira fácil e segura de sincronizar todo o seu histórico de navegação, os seus favoritos, senhas salvas, extensões e as abas abertas entre todos. Confira essas e outras funcionalidades do Firefox acessando o site oficial:

  www.mozilla.org/pt-BR/firefox


 No tutorial a seguir mostro como instalar manualmente o Firefox estável, que está presente nos repositórios oficiais da maioria das distribuições Linux, e também as outras 3 versões principais, que são:

  • Firefox Beta - Como o próprio nome diz, esta é a versão de pré-lançamento do Firefox, que traz uma prévia dos novos recursos e funcionalidades que serão adicionadas em breve na versão estável;
  • Firefox Developer - Possui todos os novos recursos presentes na versão Beta e também várias ferramentas voltadas para os desenvolvedores web, como a de criação e design em CSS Grid;
  • Firefox Nightly - Esta é a versão de testes do Firefox, onde são adicionados novos recursos e funcionalidades que serão implementados nas versões Beta, Developer e estável. Ideal para quem deseja acompanhar e ajudar no desenvolvimento do mesmo.

 O processo de instalação é praticamente o mesmo para todas as versões, apenas alguns detalhes como a criação da pasta, dos links simbólicos e dos atalhos que são diferentes. Vamos lá então?!

  Tutorial testado nas versões de 64 bits do Fedora 26 Workstation, openSUSE Leap 42.3 e openSUSE Tumbleweed.
Tutoriais de instalação e pós-instalação do openSUSE, Fedora, Debian e do Ubuntu, além de notícias e dicas sobre Linux em geral!
Lançado o KDE Plasma 5.11, confira as novidades!

 Após pouco mais de 4 meses em desenvolvimento, a equipe do Projeto KDE anunciou hoje, dia 10 de outubro de 2017, a mais recente versão estável do ambiente de área de trabalho KDE, o Plasma 5.11, que está recheada de novos recursos e funcionalidades.

 Entre os destaques está o novo design do aplicativo de Configurações do Sistema (System Settings) que teve a interface totalmente remodelada, tornando-o mais amigável e permitindo o acesso mais fácil às opções de ajustes. Apesar disso, ainda é possível retornar ao modo de exibição "antigo".
Tutoriais de instalação e pós-instalação do openSUSE, Fedora, Debian e do Ubuntu, além de notícias e dicas sobre Linux em geral!
SUSE anuncia novidades durante conferência global

 A SUSE, empresa pioneira em software Open Source, está realizando ao longo desta semana a conferência mundial SUSECON na qual reúne parceiros e clientes do mundo todo. A edição que este ano acontece em Praga, na República Tcheca, vem apresentando os últimos desenvolvimentos em infraestrutura definida por software para empresas com as principais soluções baseadas em Linux, OpenStack e Ceph, além de realizar inúmeras palestras sobre tendências em tecnologia.

 Dentre os destaques apresentados pela companhia até o momento está a colaboração entre a SUSE e a SAP que visa capacitar desenvolvedores e empresas na SAP Cloud Platform. Utilizando o SUSE OpenStack Cloud e o SUSE Enterprise Storage, que passam a ser elementos-chave da Plataforma, a parceria fornece serviços de infraestrutura para empresas executarem aplicativos que permitem coletar, gerenciar, analisar e alavancar informações de todos os tipos, além de estender e conectar-se a sistemas empresariais.

 Outro ponto de sinergia entre as duas empresas foi a certificação que SAP concedeu à tecnologia SUSE para gerenciar clusters de alta disponibilidade em execução na plataforma SAP NetWeaver. Isso possibilitará atualizações do kernel direto no SAP NetWeaver. Embora o suporte para a alta disponibilidade do SAP NetWeaver já tenha sido disponibilizado anteriormente, agora, a SUSE também passa a aceitar o SAP NetWeaver 7.40 e superior, incluído no SUSE Linux Enterprise Server para aplicativos SAP.


"Os clientes esperam níveis extremamente elevados de confiabilidade, escalabilidade e desempenho, e a SUSE, trabalhando em colaboração com a SAP, buscou atingir exatamente esse nível de excelência", destacou Thomas Di Giacomo, diretor de tecnologia da SUSE.


 Além desse destaque, outro ponto abordado durante o SUSECON foi o poder das soluções de armazenamento que sempre residiu em software e o armazenamento definido pelo software SUSE, o qual oferece aos clientes flexibilidade e a escolha que os aparelhos de armazenamento tradicionais não fornecem. Tal expertise da SUSE permitiu que os clientes tivessem suas necessidades de armazenamento atendidas de forma mais segura e econômica, utilizando soluções padrão de hardware e de armazenamento baseadas em software open source.

 Outra novidade anunciada na Conferência é o SUSE Enterprise Storage 5, que chega ao mercado com maior facilidade de gerenciamento, desempenho e recursos expandidos, incluindo o backup de disco para clientes corporativos.


“À medida que as empresas procuram tornar-se mais ágeis ao entregarem aplicativos rápidos aos clientes, fornecedores e usuários internos, eles estão adotando novas arquiteturas, processos e tecnologias projetadas para acelerar a TI. A SUSE está ajudando seus clientes a acelerar a entrega desses aplicativos com um portfólio crescente de soluções”, ressaltou Sergio Toshio, VP e General Manager da SUSE na América Latina.


 Para dar ainda mais peso aos anúncios desta semana, a SUSE também apresentou uma nova versão para a sua solução focada em contêiners, o SUSE CaaS Platform 2, uma plataforma de gerenciamento de contêiner com base na tecnologia Kubernetes e que pode ser operada por meio do SUSE Cloud Application Platform.






 E para encerrar a primeira rodada de anúncios, a SUSE e a Huawei reforçaram a continuidade de sua parceria, agora, porém, ambas as empresas colaborarão para a criação de um Servidor de Missão Crítica, estabelecendo assim um novo padrão de confiabilidade no mercado. Ele suportará o hot swap do módulo de memória, ajudando clientes a reduzirem o tempo de manutenção não planejado, mantendo seus sistemas de produção em funcionamento.

 O SUSECON acontece até o dia 29 de setembro e muitas outras novidades e discussões ainda estão por vir.


Sobre a empresa

 A SUSE, pioneira em software open source, fornece soluções confiáveis e interoperáveis de Linux, infraestrutura de nuvem e armazenamento que dão às empresas maior controle e flexibilidade. Com mais de 20 anos de excelência em engenharia, um serviço excepcional e um ecossistema de parceiros sem igual, a SUSE fornece produtos e suporte que ajudam os clientes a gerenciar a complexidade, reduzir custos e fornecer serviços essenciais com confiança. Os relacionamentos duradouros que a companhia construiu permitem adaptar e entregar a inovação mais inteligente que os clientes precisam para ter sucesso hoje e amanhã. Para obter mais informações, visite www.suse.com.


 Cadastre-se para receber todas as novidades do Blog Opção Linux no seu e-mail, ou siga-nos no Google+, no Twitter, Facebook ou no nosso canal no Telegram! :)

 Obrigado pela visita e até +!
Tutoriais de instalação e pós-instalação do openSUSE, Fedora, Debian e do Ubuntu, além de notícias e dicas sobre Linux em geral!
Atualizando do Fedora 25 para o Fedora 26 Workstation

Com a proximidade do fim de suporte do Fedora 25 muitos usuários já planejam formatar o computador e instalar a versão mais recente, que, até o momento, é o Fedora 26, lançado no dia 11 de julho de 2017.

 Apesar de considerar a instalação limpa como a melhor opção (na minha humilde opinião), o Fedora também conta com um processo simplificado de upgrade, o que facilita (e muito) a vida dos usuários, e é isso que você vai aprender neste tutorial, seja através do terminal ou graficamente!

  Tutorial testado no Fedora 25 Workstation (64 bits), com ambiente de área de trabalho GNOME.

Tutoriais de instalação e pós-instalação do openSUSE, Fedora, Debian e do Ubuntu, além de notícias e dicas sobre Linux em geral!

Você vai aprender, nesta dica, a instalar manualmente a versão mais recente do Telegram Desktop no Debian e em distribuições derivadas.

 O Telegram é um dos serviços de mensagens instantâneas mais populares da atualidade (um concorrente direto ao WhatsApp). Com foco na velocidade e segurança, o Telegram é super rápido, simples de usar, gratuito e o melhor de tudo, tanto os aplicativos para celulares e computadores, bem como sua API são de código aberto! \o/


 É possível utilizar o Telegram em todos os seus dispositivos ao mesmo tempo — suas mensagens serão sincronizadas em todos os seus celulares, tablets ou computadores. Além de mensagens, também é possível enviar fotos, vídeos e qualquer tipo de arquivo (.doc, .zip, .m4a, etc.) de até 1,5GB cada, assim como a possibilidade de criar grupos de até 5000 pessoas ou canais para transmitir informações para audiências ilimitadas.
 Você pode conversar com seus contatos telefônicos ou procurando-os pelo nome de usuário. Como resultado, o Telegram é como SMS e email combinados — e pode tomar conta de todas as suas necessidades de mensagens pessoais ou de negócios.

 Para conhecer mais detalhes sobre o Telegram, basta acessar o site oficial no link abaixo:

  https://telegram.org/

  Tutorial testado no Debian 9 "Stretch" e no LMDE 2 (Linux Mint Debian Edition 2), ambos de 64 bits.
Tutoriais de instalação e pós-instalação do openSUSE, Fedora, Debian e do Ubuntu, além de notícias e dicas sobre Linux em geral!
Intel Graphics Update Tool no Fedora 26 Workstation

 Aprenda, nesta dica, a instalar os drivers gráficos mais recentes para placas Intel no Fedora 26 Workstation com o Intel Graphics Update Tool.

 O Intel Graphics Update Tool for Linux é um utilitário gráfico para você que deseja instalar facilmente a versão mais recente dos drivers gráficos para sua placa de vídeo Intel (onboard) no Fedora e no Ubuntu. Esse aplicativo adiciona o repositório oficial da Intel no sistema, com isso você sempre terá as últimas versões dos drivers gráficos instalados.

 Segundo informado no site da Intel, os drivers gráficos disponibilizados pelo projeto Intel Linux Graphics são suportados SOMENTE pelos seguintes chipsets:

Ivybridge       Intel® HD Graphics 2500/4000 (used in 3rd Generation Intel® Core™ i7/i5/i3 processor family)
Sandybridge     Intel® HD Graphics 2000/3000 (used in 2nd Generation Intel® Core™ i7/i5/i3 processor family)
Ironlake        Intel® HD Graphics (used in Intel® 2010 Core™ i7/i5/i3 processor family)
GMA3150         Intel® Graphics Media Accelerator 3150 (used in Intel® Atom™ processor N450/D410/D450 family)
G45             Intel® G45 Express Chipset
Q45             Intel® Q45 Express Chipset
G43             Intel® G43 Express Chipset
Q43             Intel® Q43 Express Chipset
B43             Intel® B43 Express Chipset
G41             Intel® G41 Express Chipset
GM45            Mobile Intel® GM45/GS45/GL40 Express Chipset
G35             Intel® G35 Express Chipset
Q35             Intel® Q35 Express Chipset
Q33             Intel® Q33 Express Chipset
G33             Intel® G33/G31 Express Chipset
965GM           Mobile Intel® GM965 Express Chipset
965G            G965 Integrated Graphics Controller
965Q            Q963/Q965 Integrated Graphics Controller
946GZ           946GZ/GL Integrated Graphics Controller
945G            945G Integrated Graphics Controller
945GM           Mobile 945GM/GMS/940GML Express Integrated Graphics Controller
915G            82915G/GV/910GL Express Chipset Family Graphics Controller
915GM           Mobile 915GM/GMS/910GML Express Graphics Controller
865G            82865G Integrated Graphics Controller
855GM           82852/855GM Integrated Graphics Device
845G            82845G/GL[Brookdale-G]/GE Chipset Integrated Graphics Device
i830M           82830 Chipset Graphics Controller
815             82815 Chipset Graphics Controller
810             82810 Chipset Graphics Controller
810-DC100       82810-M DC-100 System and Graphics Controller

 Para conhecer mais detalhes sobre o projeto Intel Graphics for Linux, basta acessar o site oficial:

  https://01.org/linuxgraphics/about

 Vamos então à instalação!

  Tutorial testado no Fedora 26 Workstation (GNOME), utilizando a versão 2.0.6 do Intel Graphics Update Tool for Linux, disponibilizada no dia 25 de agosto de 2017.
  ATENÇÃO   
Este tutorial é destinado principalmente às pessoas que desejam obter uma melhora no desempenho dos jogos ou que enfrentam algum problema com os drivers disponibilizados nos repositórios oficiais do Fedora. Se este não é o seu caso, pense duas vezes antes de seguir os passos abaixo, ok?